quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

MAIS UMA MORTE TRÁGICA E PRECOCE DE ARTISTA E AGORA DA CANTORA QUE COMPÔS MÚSICA DE PROTESTO CONTRA A VIOLÊNCIA DAS BOMBAS DO IRA E DA PRÓPRIA VIDA HOJE EM DIA



Abuso sexual e transtorno bipolar além de protesto contra mortes de crianças causadas por bombas marcaram a difícil vida de Dolores O'Riordan, vocalista do Cranberries, ainda não se sabe a causa de sua morte: ela teria sido assassinada?


Dolores O'Riordan em protesto contra a violência



Ontem a gente noticiou e postou aqui no blog da não violência a morte precoce da cantora e compositora Dolores O'Riordan (da banda de rock Cranberry) uma pacifista, hoje, somos informados pela Human Rights Watch que o Brasil está sendo acusado de continuar fabricando e exportando as munições proibidas Cluster para bombas usadas em todas guerras civis: tem quem morre pela vida, mas há os que ganham com a morte.Este é um resumo das informações de agências internacionais como a Reuters e do site da BBC (British Broadcasting Corporation) da trágica história por trás de Zombie, sucesso do Cranberries composto por Dolores O'Riordan, vocalista da banda que apareceu morta, causa mortis ainda não esclarecida 48 horas depois de acontecer. Ela tinha 46 anos, desde jovem, por esta música de guerra e também outras canções e por suas entrevistas, passou a ser importante para o movimento da paz e  defesa da vida



Ainda agora no Iêmen bombas Cluster made in Brazil




A música, do segundo álbum do grupo, No Need to Argue (1994), é um hino de guerra já antológico e chegou a ganhar o prêmio de melhor composição do EMA, o MTV Europe Music Award: "Essa foi a canção mais agressiva que escrevemos", declarava Dolores O'Riordan em entrevista ao portal Team Rock, em novembro do ano passado. "Zombie foi algo diferente de tudo que havíamos feito antes e marca nossa vida até hoje". A música foi inspirada na morte de duas crianças, Tim Parry, de 12 anos, e Johnathan Ball, de 3. Os dois morreram em 20 de março de 1993 após a explosão de duas bombas colocadas pelo grupo armado IRA (Exército Republicano Irlandês) em lixeiras em uma área comercial da cidade Warrington, na Inglaterra. O ataque terrorista deixou mais de 50 pessoas feridas.



As duas crianças que foram vítimas das bombas do Ira




Zombie faz referência à violência que assolou a Irlanda do Norte durante décadas, em especial nas décadas de 70 e 80, pelos combates entre as tropas britânicas e os nacionalistas irlandeses. A situação ainda não está totalmente resolvida e deixa sequelas na realidade da Europa até hoje.




"Com seus tanques e suas bombas / E suas bombas e suas armas / Em sua mente, em sua mente, eles estão chorando" (Zombie)



O IRA foi a principal organização armada católica e republicana da Irlanda do Norte, que durante décadas utilizou a violência para tentar que esse território deixasse de formar o Reino Unido e se incorporasse à República da Irlanda. Atualmente, este problema tomou um outro rumo. Na música, Dolores O'Riordan canta (aqui em livre adaptação para o português), uma clara referência ao atentado de 1993, alerta:



 "O coração partido de outra mãe é tomado. Quando a violência causa silêncio, devemos estar enganados" (Zombie)





Esta música de protesto está por trás da sua morte agora? Parte do sucesso da música contra as bombas se deveu também a seu clip, que alternava imagens da guerra com cenas de O'Riordan e um grupo de crianças pintados de dourado ao redor de um crucifixo. O videoclip, que tem quase 700 milhões de visualizações no canal do The Cranberries no YouTube, foi dirigido por Samuel Bayer, que também fez o vídeo Smells Like Teen Spirit, um dos principais sucessos do Nirvana. Por enquanto, o que foi divulgado é que a polícia britânica que atendeu a ocorrência de morte em hotel na região central de Londres não deu pistas sobre a morte de Dolores O'Riordan, trágica como a música que consagrou ela e o o grupo Cranberries como uma das mais expressivas canções de protesto contra a violência.



O rock e a luta pela paz abalados com a morte de O'Riordan


(Confira na seção de comentários aqui no blog da gente outras informações sobre os problemas que O'Riordan vinha sofrendo e eventuais motivos da sua morte, bem como mensagens sobre a violência da atualidade)


O'Riordan em uma de suas últimas fotos em show na Alemanha



Fontes: BBC - Reuters
               folhaverdenews.blogspot.com


10 comentários:

  1. Estamos aqui na redação do blog da ecologia e da não violência atentos a outras informações da BBC e/ou da agência de notícias Reuters, desde já, a nossa solidariedade a todos os pacifistas do mundo.


    ResponderExcluir
  2. "O atentado em Warrington, assim como muitos outros que ocorreram em toda a Irlanda e no Reino Unido, foi algo que afetou famílias de uma maneira real": comentário de Colin Parry, pai de Tim Parry, uma das vítimas crianças, ao tomar conhecimento da morte de O'Riordan, autora da música de protesto.

    ResponderExcluir
  3. Segundo uma nota divulgada por seus representantes, a cantora estava em Londres para uma curta sessão de gravação. A polícia britânica informou que foi chamada até um hotel na região central de Londres, onde ela foi declarada morta.
    Ainda não há informações sobre a causa da morte.



    ResponderExcluir
  4. "Dolores O'Riordan se juntou à banda que originalmente se chamava The Cranberry Saw Us em 1990. A artista morreu em um hotel de Londres, onde havia se hospedado para participar de uma gravação agora. As causas da morte da cantora, nascida na cidade de Limerick e mãe de três filhos, ainda são desconhecidas. Até o momento, a polícia informou que o caso não está sendo tratado como suspeito": comentário da assessora de Dolores O'Riordan, Lindsey Holmes.



    ResponderExcluir
  5. "Em entrevistas ao longo da carreira, O'Riordan fez várias referências a abusos sexuais sofridos na infância. Em 2013, à revista LIFE, a cantora contou que foi abusada dos 8 aos 12 anos de idade, por uma pessoa de confiança da família. "Eu era só uma menina", disse então O'Riordan. Por anos, ela manteve segredo sobre os abusos, enquanto se culpava pelo que havia ocorrido. "Isso é o que acontece. Você acredita que é culpa sua. Enterrei o que aconteceu. É o que se costuma fazer - você enterra porque tem vergonha", disse no ano seguinte ao Belfast Telegraph. "Você pensa: 'Oh, Deus, como sou horrível e repugnante. Você cria um ódio contra si mesma que é terrível. E, com 18 anos, quando fiquei famosa e minha carreira deslanchou, foi ainda pior. Aí, desenvolvi uma anorexia": comentário também da assessora de Dolores O'Riordan, Lindsey Holmes.

    ResponderExcluir
  6. "Por anos, a anorexia foi acompanhada de crises nervosas, abuso de álcool e pensamentos suicidas.
    Isso causava tristeza à O'Riordan que pelo sucesso musical chegou a ser a mulher mais rica da Irlanda
    O'Riordan em entrevista à BBC lembrou do horror de reencontrar seu abusador em 2011, depois de anos sem vê-lo. Ela também revelou que, em 2013, tentou "se suicidar com uma overdose". Para se recuperar, apoiou-se nos três filhos que teve com Don Burton, agente da banda Duran Duran e de quem se separou em 2014, após 20 anos de casamento": informação da Reuters.

    ResponderExcluir
  7. "Depois da sua morte agora, confirmaram que a cantora havia sido diagnosticada em 2015 com transtorno bipolar. O transtorno era a causa de seus surtos de agressividade. "Há dois extremos na escala: você pode se sentir extremamente deprimida (...) e perder o interesse nas coisas que ama fazer, e logo se sentir supereufórica", disse ao jornal Metro. "Mas você só fica nesses extremos por cerca de três meses, até que vai ao fundo do poço e cai na depressão. Quando você está transtornado, não dorme e tudo se torna muito
    difícil no dia a dia". A depressão, segundo O'Riordan, "é uma das piores coisas que podem acontecer com você". Quanto à saúde física, O´Riordan sofria de problemas na coluna, talvez por conta do seu constante stress": informações da agência Reuters.

    ResponderExcluir
  8. "O'Riordan foi assassinada ou se suicidou? De toda forma, uma vítima a mais da violência contra a qual ela lutou através do rock": comentário dum amigo seu, Jordan Black, em emissão de rádio da BBC.

    ResponderExcluir
  9. Coloque aqui a sua informação ou comentário, você pode mandar também a sua mensagem para a redação do nosso blog pelo e-mail navepad@netsite.com.br Há ainda o e-mail do nosso editor de conteúdo para você enviar vídeo ou fotos ou outro material de informação, envie p/ padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  10. "Essa morte triste é mais um reflexo da violência da atualidade": comentário de Xis André, músico de rock e fã do trabalho de O'Riordan, não tão popular no Brasil como na Europa, nos Estados Unidos, no Canadá e no Japão.

    ResponderExcluir

Translation

translation