quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

CORRUPÇÃO GERAL NO PAÍS É O QUE MOSTRA ESTE RELATÓRIO SENDO DIVULGADO POR REPÓRTER BRASIL: A MAIORIA DOS DEPUTADOS DE QUASE TODOS OS PARTIDOS FINANCIADOS POR AUTORES DE CRIMES OU INFRAÇÕES AMBIENTAIS



Você pode conferir informações na íntegra em matéria bomba hoje no site EcoDebate revelando que empresas e criminosos doaram 58 milhões de reais para mais da metade dos parlamentares dos mais variados partidos políticos na Câmara Federal


Para protestar índio toma banho para limpar Congresso Nacional




Ana Aranha e Guilherme Zocchio fizeram o levantamento para o Repórter Brasil com o objetivo de informar melhor os eleitores sobre a corrupção generalizada que toma conta de todo o país, em especial, de Brasília: mais da metade dos deputados federais eleitos para a atual legislatura recebeu financiamento de doadores, com um detalhe a mais que tem a ver com o Meio Ambiente, eles estão na lista de autuados pelo Ibama. Dos 513 deputados que foram eleitos, 249 receberam um total de R$ 58,9 milhões, doações oficiais de empresas e pessoas que desmataram e queimaram florestas, vários crimes e infrações ambientais. O valor inclui contribuições diretas e indiretas (quando o dinheiro passa pelos dirigentes ou pelo comitê eleitoral ou pelo diretório do partido. Receber doações não é crime e nem é vedado pela Justiça Eleitoral, porém,  a grande proporção de financiadores que por sinal são também infratores chama atenção, especialmente agora nestes anos, quando se trata de uma legislatura que aprovou projetos criticados por seus impactos ao meio ambiente, um fato denunciado pelo movimento ecológico e de cidadania, que agora tem toda a comprovação através deste dados impressionantes:  "Está comprovado também, a saída para o Brasil é mudar radicalmente a estrutura eleitoral e política brasileira, para a nação superar este caos ético e o país conseguir um desenvolvimento sustentável, o que exige uma revalorização da ecologia, uma moralização da economia, um novo equilíbrio que possa criar uma gestão ambiental urgente e avançada". comentou por aqui no blog do nosso movimento Folha Verde News, o nosso editor o ecologista Antônio de Pádua Silva Padinha, ao editar e divulgar estas informações sobre a overdose da corrupção dos políticos brasileiros, principalmente de "ideais ruralistas". 


 Aqui alguns dos integrantes da bancada ruralista citada no relatório

Para exemplificar esta overdose de corrupção a dano do ambiente e da ética no Brasil, foi detalhado o caso da MP da Grilagem, como ficou conhecida a medida provisória que facilita a regularização de áreas públicas invadidas. Nesse ponto, vale lembrar das votações que reduziram a proteção da Floresta Nacional do Jamanxim e de dois parques nacionais. Agora está explicado por que isso aconteceu. O relatório dá o nome de todos os doadores autuados, 92 empresas e 40 pessoas físicas. Os dados têm como fonte as declarações dos candidatos ao Tribunal Superior Eleitoral e a lista de autuados pelo Ibama em novembro de 2017. Os dados foram cruzados pelo Ruralômetro, ferramenta que permite monitorar até a atuação de cada deputado em áreas sensíveis ao meio ambiente, com relação a povos indígenas e também trabalhadores rurais, também lesados pelo megaesquema de corrupção. Consulte no site socioambiental de assuntos nacionais EcoDebate todos os nomes de parlamentares e todos os detalhes deste esquema com todos os dados sendo divulgados na íntegra pelo Repórter Brasil, aqui, apresentamos um resumo essencial, como uma alerta para o nosso movimento ecológico, científico e de cidadania sobre a overdose de corrupção dos políticos no país, a dano da natureza e da nossa população. 

 
Este relatório explica posição antiecologia da maioria dos deputados federais




MAIS DE 200 NOMES de políticos  de várias tendências e siglas, também ministros, constam do relatório Repórter Brasil, especialmente da bancada ruralista, como aperitivo citamos alguns aqui no blog da ecologia e da cidadania: Adilton Sachetti, Eraí Maggi, Blairo Maggi, Romeu Froelich, José Sarney, Cristiane Brasil, Ricardo Barros, Mendonça Filho, Leonardo Picciani, Marx Beltrão, Alexandre Baldy etc etc etc etc etc etc





(Confira na seção de comentários deste blog alguns dos casos mais graves de mais este esquema de corrupção que explica bem os acontecimentos e os problemas atuais do país)


PRATO CHEIO para os humoristas do Brasil (aqui algumas charges)






Fontes: Repórter Brasil
             www.ecodebate.com.br
             folhaverdenews.com 

7 comentários:

  1. O movimento ecológico, científico e de cidadania através deste blog agradece este relatório Repórter Brasil que explica muito do que acontece ou deixa de acontecer no meio ambiente do Brasil.

    ResponderExcluir
  2. Você pode ler na íntegra os nomes dos parlamentares envolvidos e todos os detalhes deste megaesquema antiambiental em Repórter Brasil ou então na matéria hoje em ecodebate.com.br

    ResponderExcluir
  3. "O cruzamento de dados oferece pistas sobre como os interesses de financiadores infratores ambientais podem estar conectados à ação dos parlamentares. Não é suficiente para concluir que os doadores determinam os votos e proposições, mas revela algumas coincidências que valem ser monitoradas e analisadas no relatório": comentário de Irineu Morais, economista, do Rio de Janeiro, que nos envia mais informações.

    ResponderExcluir
  4. "Ativo integrante da Frente Parlamentar Agrícola, a bancada ruralista, Adilton Sachetti recebeu R$ 1 milhão de cinco pessoas e uma empresa que cometeram infrações ou crimes ambientais. O valor representa 26% de tudo o que ele arrecadou em 2014": trecho do relatório Repórter Brasil.

    ResponderExcluir
  5. Você pode colocar aqui sua informação ou comentário e/ou se preferir envie sua mensagem pro e-mail da nossa redação do blog navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  6. Vídeos, fotos, material de informação, você pode mandar direto por nosso editor deste blog de cidadania e ecologia padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  7. "Entre os doadores, o nome mais conhecido é o de Eraí Maggi, produtor que roubou o título de rei da soja do seu primo e ministro da Agricultura Blairo Maggi (PP-MT). Para ajudar a eleger Sachetti, Eraí entrou com R$ 50.320. O seu cunhado, Jose Maria Bortoli, entrou com R$ 100 mil. Ambos são sócios do Grupo Bom Futuro, que reúne 36 fazendas produtoras de grãos, algumas a 200 quilômetros de onde sairiam as embarcações da hidrovia": trecho do relatório Repórter Brasil. Aguarde a seguir mais comentários e mensagens em nova edição aqui.

    ResponderExcluir

Translation

translation