quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

TIPO DE USINA QUE DEVERÁ SER PADRÃO NO FUTURO JÁ ESTÁ FUNCIONANDO NO INTERIOR DO PARANÁ E AO ESTILO DA EUROPA



Usina já passa a produzir biogás a partir de resíduos orgânicos e lodo de esgoto



  O processamento do biogás ajuda a ecologia e a economia


Pela primeira vez uma usina produzirá energia, no Brasil, a partir da combinação entre os resíduos orgânicos e o lodo de esgoto. Nesta semana, a CS Bioenergia, formada pela estatal Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) e pelo grupo Cattalini Bio Energia, recebeu Licença de Operação do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) para geração de biogás, no Paraná. A expectativa é que a operação estimule a adoção da tecnologia em outros estados do país, avançando esta estrutura energética sustentável e então, boa para a economia e para a ecologia, além de poupar a população de doenças.


  Esta é a usina pioneira de Biodigestão na região de Curitiba


O processo, conhecido como Biodigestão, começa com o recebimento do lodo de esgoto da estação de tratamento e seu armazenamento em um tanque. Paralelamente, também são recebidos resíduos sólidos urbanos. Estes passam por um mecanismo de separação, retirando, por exemplo, os plásticos. Depois, a fração orgânica é limpa. Só então o material é enviado ao tanque de Biodigestão, onde vai ser adicionado ao lodo. O diretor da Cattalini Bio Energia, Sérgio Vidoto, explica que, no Brasil, lodo de esgoto contém muitas bactérias. Um problema que, na usina, vira solução. Isto porque as bactérias ali vão se alimentar do material orgânico, produzindo um gás com grande participação de metano.  E essa será a combinação perfeita para gerar o biogás de excelente qualidade, mais uma razão para a  implantação desta tecnologia no país. A usina gerará 2,8 megawatts de energia elétrica, o suficiente para abastecer duas mil residências populares, conforme a CS Bionergia . Para que o biogás passe a integrar a rede de energia do Paraná, ainda falta a autorização da Companhia Paranaense de Energia (Copel): Sérgio Vidoto espera definir mais este avanço em cerca de sessenta dias, por volta do final de abril ou início de maio. 

A pesquisa laboratorial com o biogás amplia o seu alcance



Ao todo, 1000 metros cúbicos (m3) de lodo de esgoto e 300 toneladas de todos resíduos orgânicos, que eram descartados diariamente no meio ambiente, totalmente aproveitados pelo processo da Biodigestão na usina. Além do biogás, a sobra dos resíduos orgânicos será matéria básica para a produção de biofertilizantes. Já o plástico, que chega à indústria junto com o lixo, será separado e reciclado para a produção de sacolas. A inspiração para a mudança nessa cultura veio de países como a Áustria e a Alemanha, eles que combinam tecnologias e políticas públicas para promoverem o reaproveitamento dos resíduos e, com isso, a quase inutilização de aterros sanitários, caros, impactantes e que não resolvem o problema ambiental. Existem mais de 14 mil plantas de biogás por meio de Biodigestão na Europa. Apenas na Alemanha, são oito mil. No Brasil, o biogás ainda tem uma participação pequena na matriz energética, na oferta interna, ele é contabilizado junto a outros tipos de reaproveitamento, como o bagaço e a palha da cana, configurando a chamada biomassa. E no país, todas estas formas não chegam a representar 10% da energia gerada por aqui. Está na hora da Biodigestão também para a criação do nosso futuro sustentável. 

  Esta é uma das dezenas de usinas de Biodigestão na Alemanha


(Confira na seção de comentários mais informações, também mensagens e opiniões nesta pauta de hoje do blog da gente)



Pequenos bidigestores podem resolver problema ambiental em fazendas


Fontes: JB - Agência Brasil - France Press
              folhaverdenews.blogspot.com 

7 comentários:

  1. Segundo dados do Ministério de Minas e Energia, em a biomassa foi responsável por 8,8% da energia gerada no país nos últimos meses, algo muito abaixo da necessidade desta nova estrutura energética necessária para a economia e a ecologia.



    ResponderExcluir
  2. “Está todo mundo olhando a nossa planta como uma quebra de paradigmas no tratamento de resíduos orgânicos no Brasil”: comentário de Sérgio Vidoto, diretor da CS Bioenergia no Paraná.

    ResponderExcluir
  3. "Até agora só existiam projetos pilotos que testavam esta tecnologia, mas não uma usina com essa dimensão, este pioneirismo quebrará esse paradigma de só aterrar o lixo, desperdiçando uma riqueza": comentário de Rubens Gerardi, engenheiro agrônomo na região de Juiz de Fora (MG).

    ResponderExcluir
  4. Logo mais, mais comentários, você pode por aqui direto ou enviar a sua mensagem pro e-mail da redação deste blog navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  5. Outra alternativa: material de informação tipo vídeo, fotos, registro de pesquisas, você pode enviar diretamente pro e-mail do nosso editor de conteúdo padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  6. "O lixo pode mesmo ser um luxo, como divulga o movimento ecológico e científico, os resíduos orgânicos e o lodo0 do esgoto param de poluir o ambiente e ajudam também a economia": comentário de Hermínia dos Santos, que estuda Engenharia na USP e pretender ser sanitarista, atuando junto com uma equipe multidisciplinar, como médicos e técnicos de vários setores.

    ResponderExcluir
  7. "Grande notícia para todos os que lutam por uma forma mais sustentável de desenvolvimento nesse país ruralista e violento": comentário de Arnaldo Luiz, estudante da USP em São Paulo. Ele informa que está encaminhando esta postagem prá equipe do Jornal da USP. A gente agradece.

    ResponderExcluir

Translation

translation