terça-feira, 4 de setembro de 2018

27 SUGESTÕES PARA SALVAR O CERRADO A PARTIR DE HOJE SERÃO ENTREGUES PELO NOSSO MOVIMENTO A TODOS CANDIDATOS E CANDIDATAS A PRESIDENTE DO BRASIL

A Rede Cerrado anunciou hoje estratégias e propostas em defesa deste bioma (considerado como fundamental para as águas brasileiras): aqui no blog da ecologia e da cidadania um resumo das sugestões e dos alertas essenciais para uma economia mais ecológica a partir de 2019: sendo ouvidas elas  podem levar à criação dum futuro sustentável  no interior do país 

Candidatos ouvirão a voz do Cerrado?

Ou vai continuar acontecendo o pior?

Aconteceu hoje o lançamento de 27 recomendações básicas a favor da vida do Cerrado, o site EcoDebate fez uma cobertura nacional do evento, todas as propostas reunidas num documento irão ser entregues a todos os Presidenciáveis. Foram elaboradas pelo movimento ecológico, científico e de cidadania, feitas  por especialistas em meio ambiente da sociedade civil, como o Instituto Centro de Vida (ICV), Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB), Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam), Instituto Sociedade, População e Natureza (ISPN), Instituto Socioambiental (ISA) e WWF Brasil entre outras entidades não governamnentais que se unem à luta da Rede Cerrado. Aqui, no blog da ecologia e da cidadania Folha Verde News algumas destas recomendações que também acabam sendo alertas: – aprovar a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que coloca o Cerrado e a Caatinga como patrimônios nacionais e alcançar a meta de proteger pelo menos 17% do bioma, compromisso assumido na Conferência da Biodiversidade de Aichii; 
– zerar o desmatamento, seja ilegal ou ilegal, até 2020, revisando a meta de redução dada pela Política Nacional de Mudanças Climáticas;
– garantir a presença e modos de vida dos povos indígenas ou de povos e comunidades tradicionais do Cerrado que são fundamentais para a conservação e a manutenção dos serviços ecossistêmicos;



Dois ícones do Cerrado muito ameaçados


– superar entraves regulatórios que a produção e a comercialização de produtos da sociobiodiversidade enfrentam nos campos sanitário, fiscal e ambiental

A agenda propositiva para o Cerrado está organizada em três eixos estratégicos, com políticas e ações para a conservação e o uso sustentável da biodiversidade, a redução do desmatamento e a promoção do agroextrativismo.

O Cerrado é quase meio Brasil

Todo ciclo das águas depende do Cerrado

Por que toda esta mobilização pelo Cerrado? 

Conhecido como o berço das águas ou a caixa d’água do Brasil, o Cerrado abriga oito das doze regiões hidrográficas brasileiras e abastece seis das oito grandes bacias hidrográficas brasileiras (Amazônica, Araguaia/Tocantins, Atlântico Norte/Nordeste, São Francisco, Atlântico Leste e Paraná/Paraguai que é aqui na nossa macrorregião). O bioma ocupa 24% do território nacional e concentra 5% de toda a biodiversidade do mundo. Abrange os estados de Minas Gerais, Goiás, Tocantins, Bahia, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Piauí, São Paulo, Paraná, Rondônia, além do Distrito Federal, abrigando mais de 1.300 municípios onde vivem cerca de 25 milhões de pessoas. Mesmo com essa relevância para a economia e para a manutenção dos ecossistemas, o Cerrado está sendo radical e rapidamente substituído por extensas áreas de monoculturas e pecuária. Hoje a  devastação da cobertura vegetal do bioma, fundamental para garantir os fluxos hídricos entre as diversas regiões do Brasil, chegou a 50%, segundo os dados até mesmo aqueles oficiais do Ministério do Meio Ambiente (MMA). Resumindo: metade do Cerrado já não existe mais e isso compromete nascentes, rios, riachos e toda a vida do povo do interior brasileiro.  As crises hídricas, como as que vêm afetando várias regiões do país, secas, escassez de chuvas, erosões, estão relacionadas com essa devastação, porque o Cerrado é responsável pelo transporte da umidade e o vapor d’água da bacia amazônica para as regiões sul e sudeste do Brasil, permitindo a regularidade do regime de chuvas e do ciclo das águas. O bioma é a base fundamental para sobreviver nossa última natureza, um desafio que só conseguiremos no país com a implantação duma gestão pública de desenvolvimento sustentável, equilibrando os interesses econômicos com os ecológicos. 

Um dos grupos ecológicos de jovens que vão à luta pela sobrevivência do Cerrado
O Cerrado somos nós povo do interior

(Confira na seção de comentários aqui do nosso blog mais informações, também mensagens e opiniões dentro deste SOS Cerrado: o vídeo mostra bastidores de mais uma mata sendo invadida por mais uma fazenda neste bioma)

Cerrado em foto premiada de Márcio Cabral

Fontes: Rede Cerrado - EcoDebate - Agência Brasil
              folhaverdenews.blogspot.com

7 comentários:

  1. Dia 11 de setembro próximo acontece o Dia Nacional do Cerrado: será que até lá os Presidenciáveis assimilarão as propostas em defesa deste bioma e dum plano de desenvolvimento sustentável, que equilibre os interesses econômicos com os ecológicos no interior do país?

    ResponderExcluir
  2. Pelo visto até agora nas campanhas políticas, a exceção tem sido Marina Silva (Rede e PV) que tem defendido também as ideias do movimento ecológico, científico e de cidadania: é preciso que os políticos brasileiros mudem para o Brasil avançar.

    ResponderExcluir
  3. "No mês em que se celebra o Dia Nacional do Cerrado, organizações da sociedade civil lançam o documento “Estratégias Políticas para o Cerrado”, com 27 recomendações em defesa do Bioma, seus povos e comunidades tradicionais, que serão entregues aos candidatos à Presidência da República e parlamentares. O ato, organizado em parceria com a Frente Parlamentar Ambientalista, foi realizado nesta terça feira, dia 4 de setembro, às 13h, no Salão Verde da Câmara dos Deputados em Brasília": comentário no site nacional de assuntos socioambientais EcoDebate.

    ResponderExcluir
  4. "As 27 propostas são resultado de pesquisas e de consultas interinstitucionais, incluindo a realização de um Seminário com este objetivo e uma oficina de trabalho. Além das organizações realizadoras, outras 13 organizações da sociedade civil e da academia colaboraram com o processo, tendo participado da oficina de trabalho, sendo elas: ActionAid, Associação dos Advogados dos Trabalhadores Rurais (AATR), Associação do Desenvolvimento Solidário e Sustentável (Ades) – 10envolvimento, Associação WytyCatë dos Povos Timbira do Maranhão e Tocantins, Associação Terra Indígena do Xingu (Atix), Centro de Inteligência Territorial/UFMG, Comissão Pastoral da Terra (CPT-Mato Grosso), Conservação Internacional (CI), Federação dos Povos Indígenas de Mato Grosso (FEPOIMT), Greenpeace, Iniciativa Verde, Observatório do Código Florestal (OCF) e Pesquisa e Conservação do Cerrado (Pequi)": comentário que nos enviou Mariana Pedroso que estava presente ao ato público desta tarde em Brasília, ela é ligada do movimento da Não Violência.

    ResponderExcluir
  5. "De acordo com dados de pesquisadores, mais de 14 mil quilômetros quadrados do Bioma foram desmatados entre 2016 e 2017, o equivalente a 1,4 milhão de campos de futebol. Políticas de proteção ambiental focadas somente em alguns biomas, como a Amazônia, o Pantanal e a Mata Atlântica, e brechas na legislação, principalmente no Código Florestal, contribuíram, por exemplo, para que o desmatamento do Cerrado superasse, em proporção, o amazônico. Segundo dados do MapBiomas, o Cerrado é o segundo bioma que mais perdeu vegetação nativa de 1985 a 2017, e a maior expansão agropecuária nesses anos se deu na Amazônia (35.9 Mha), seguido pelo Cerrado (21 Mha)": comentário extraído de documente da Rede Cerrado para este evento de hoje que estamos focalizando aqui no blog da ecologia e da cidadania.

    ResponderExcluir
  6. "O Brasil queima museus, destrói a natureza, como no caso, o Cerrado, sacrifica a sua população para o mega interesse apenas de uns poucos com a omissão de políticos sem consciência ou desonestos na sua maioria, assim, esta matéria é muito útil e oportuna agora": comentário de Rafael de Sousa Morais, de São Paulo, educador ambiental e professor na rede pública.

    ResponderExcluir
  7. "Assim como a maioria detesto os atuais políticos e a realidade dos partidos, dos candidatos com raras exceções, prefiro o nosso movimento, por atitudes como essa, contra a violência que vem sofrendo o Cerrado": comentário também de Rafael Morais, que nos envia um texto no tema. Agradecemos, vamos divulgar, paz aí.

    ResponderExcluir

Translation

translation