segunda-feira, 24 de setembro de 2018

HÁ BASTANTE RISCO DUMA PRIMAVERA SECA POR AQUI NO SUDESTE DO BRASIL SEGUNDO INSTITUTOS DE METEOROLOGIA

Existe também  a chance de um novo El Niño mais ao final desta estação que em geral deverá ter temperaturas altas e chuvas por quase todo o país (mas elas poderão ser mais escassas do que é normal nessa época do ano)





Artes Verdade Oculta mostram a chuva...



...e o temor duma primavera seca



Esta nova estação começou no fim de semana e termina no dia 21 de dezembro de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Segundo o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Cptec), as características meteorológicas da estação já  começaram a ser observadas há alguns dias antes, com chuvas meio intensas e frequentes nas regiões Centro-Oeste e Sudeste, marcando o período de transição entre a estação seca  do inverno e a estação chuvosa da primavera. Tanto o Cptec quanto o Inmet estão também registrando a possibilidade da chegada, ao fim da estação, do El Ninõ, fenômeno atmosférico oceânico caracterizado por um aquecimento anormal das águas superficiais no oceano Pacífico Tropical. O fenômeno pode afetar o clima regional e global, mudando os padrões de vento a nível mundial e afetando os regimes de chuva em regiões tropicais e latitudes médias. “Os modelos analisados mostram aumento de temperatura da superfície do mar sobre o Pacífico Equatorial para o trimestre outubro, novembro e dezembro de 2018, a previsão de ocorrência do fenômeno El Niño para este trimestre, embora ainda não seja possível estimar o quanto a sua intensidade influirá no clima”, conforme a nota técnica sobre o período divulgada pelo Cpetc e noticiada também pelos sites Exame da Abril e Agência Brasil. Nesta próxima 4ª feira, tomara que sim, pode chegar alguma chuva segundo prevê um outro instituto, Climatempo, porém, em geral há o temo duma primavera atípica com chuvas mais escassas. Tomara que não. 

Rios daqui e de todo o país precisando de chuvas

Mas pode ser que elas sejam escassas


A informação também consta do Prognóstico Climático da Primavera divulgado agora pelo Inmet com o objetivo de apresentar as condições do oceano e da atmosfera no Pacífico Equatorial, a Temperatura da Superfície do Mar (TSM) e os modelos dinâmicos e estatísticos gerados pelos principais centros internacionais de meteorologia, uma vez que se trata de mudanças em nível planetário.No caso aqui do nosso Hemisfério Sul. a maior parte dos modelos dinâmicos e estatísticos, sendo gerados nestes dias por especialistas nos principais centros internacionais de meteorologia indicam uma probabilidade superior a 60% que se desenvolva um em breve novo episódio de El Niño, mais por volta do fim da primavera 2018 e início do verão de 2019. Uma nota técnica do Inmet também confirma essa possibilidade. O que significa isso pro clima no Brasil? Caso haja uma confirmação do fenômeno El Niño, ele provavelmente será de curta duração e deverá ter intensidade baixa ou moderada. No entanto é fundamental esperar por atualizações futuras do progresso deste fenômeno natural e oceânico através do monitoramento da TSM no Pacífico, pois existem outros fatores, como a temperatura na superfície do oceano Atlântico aqui no lado tropical e na área oceânica próxima à costa do Uruguai e da região sul do continente que poderão influenciar o regime de chuvas em nosso país, dependendo da combinação destes fatores durante esta primavera que, com tantos desequilíbrios ambientais e surpresas no clima, poderá ter menos chuva do que é necessário para a ecologia da natureza e para a saúde da população nestes próximos 3 meses. Deus queira que não, mesmo porque não há quanto a este risco nenhuma gestão ambiental e climática em processo no Brasil.




Vegetação pedindo água




(Confira na seção de comentários deste blog de ecologia e de cidadania mais detalhes sobre o que esperar da meteorologia em cada um das regiões brasileiras a partir de agora)




Chuvas de primavera podem reequilibrar nosso clima




Fontes: exame.abril.com.br - Agência Brasil
              folhaverdenews.blogspot.com


7 comentários:

  1. "Região Norte - Os modelos climáticos indicam que esta região deve apresentar forte variabilidade espacial na distribuição de chuvas, com significativa probabilidade de áreas com chuvas dentro da faixa normal ou um pouco abaixo neste ano.
    Normalmente existe uma redução das chuvas no meio norte do Pará, Roraima e Amapá, ficando abaixo de 400 mm durante os meses de outubro e dezembro. Já na parte oeste dos estados do Amazonas, Roraima, Acre e Rondônia, bem como o extremo sul do Pará haverá possibilidade de chuvas acima da média. As temperaturas serão de normal a acima da média": comentário extraído de matéria do site da revista Exame da Abril.

    ResponderExcluir
  2. Região Nordeste - "A previsão do modelo estatístico do Inmet indica o predomínio de áreas com maior probabilidade de chuvas próximas à média ou ligeiramente abaixo durante a estação no semiárido . O trimestre de outubro a dezembro é o mais seco da parte leste do Nordeste. As temperaturas estarão mais elevadas sobre a região sul do Maranhão e do Piauí e no oeste da Bahia": comentário extraído de matéria sobre a Primavera no site da Agência Brasil.

    ResponderExcluir
  3. Região Centro-Oeste - "A previsão indica alta probabilidade das chuvas ocorrerem de normal a ligeiramente abaixo da normal em grande parte da Região Centro-Oeste, exceto no sudoeste do Mato Grosso do Sul e extremo norte mato-grossense, em que as chuvas serão mais regulares. As temperaturas serão acima da média, principalmente no sul do Mato Grosso do Sul": comentário baseado em levantamento por mapas de satélites do Inmet.

    ResponderExcluir
  4. Região Sudeste - "A previsão para os próximos três meses, indica que devem permanecer áreas com chuvas abaixo da faixa normal nesta estação, exceto em algumas áreas de São Paulo em que podem haver chuvas mais fortes, principalmente no mês de novembro. De modo geral, o modelo climático indica que as temperaturas devem permanecer acima da média em grande parte da região no mesmo período e há expectativa de menos chuva do que o normal nesta época": comentário extraído de informações do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Cptec).

    ResponderExcluir
  5. Região Sul - "O indicativo de um possível retorno do evento El Niño durante a primavera e o possível aumento da temperatura no Oceano Atlântico sobre a costa da Argentina e sul do Brasil contribuem para o crescimento das precipitações em grande parte da região Sul. Por lá, o prognóstico indica que as chuvas deverão ficar acima da faixa normal nos três estados da região, enquanto as temperaturas médias devem predominar dentro da normalidade no Rio Grande do Sul e acima da média nos demais estados": comentário também extraído de matéria no site exame.abril.com.br

    ResponderExcluir
  6. "O que a gente mais espera e precisa nestes meses agora é que chova, Deus queira que não se concretize essa possibilidade de primavera seca. A esperança é Deus e a natureza porque as autoridades governamentais não têm a mínima gestão em relação ao clima e ao ambiente": comentário de Antônio de Pádua Silva Padinha, ecologista, editor do nosso blog.

    ResponderExcluir
  7. "Caso aconteçam poucas chuvas nesta primavera, além da seca ficar mais profunda, porque ela já vem vindo há meses, haverá agora mais prejuízos para a agricultura e para a economia, aumentando a desertificação em várias áreas do país, mas primavera a gente sempre espera que chova": comentário de Elizabeth Morais Neto, de Cuiabá, Mato Grosso, ela é formada em Geografia pela Unesp e espera chuvas regulares na sua região neste final de ano.

    ResponderExcluir

Translation

translation