sábado, 8 de setembro de 2018

RESUMO DUMA ABORDAGEM CIENTÍFICA SOBRE A VIOLÊNCIA E SOBRE AS CAUSAS DA CRIMINALIDADE EM ANÁLISE DA TEORIA DA ECOLOGIA HUMANA


Este assunto é superatual agora no Brasil mas tão complexo como a realidade brasileira às vésperas duma eleição tão importante e depois da facada em Juiz de Fora: a gente está começando a debater esta pauta mostrando aqui um pouco da pesquisa de Márcia Andréia Ferreira Santos da UNESP

  
Ecologia humana rápido aqui, agora


Na Revista LEVS a gente encontrou de cara este artigo da pesquisadora que no trabalho objetiva apresentar e debater seis abordagens científicas que podem  explicar as causas da criminalidade violenta: Márcia Santos vem pesquisando já há algum tempo, não é de agora, uma pauta de setembro de 2018, mas os seus estudos podem nos ajudar a enfocar o Brasil deste momento. O jornal e site da Espanha El Pais agora também coloca que aqui no Brasil a campanha de Jair Bolsonaro e de alguns de seus asseclas, assessores ou seguidores está acirrando um clima de ódio entre as velhas direitas e esquerdas numa nova guerra, num instante em que a população deveria olhar para frente e ter a grandeza de mudar e de avançar o Brasil. É também uma questão a ser debatida, com cidadania, sem nenhum radicalismo, sem retrocessos também, uma atmosfera ditatorial não ajuda em nada uma evolução da democracia e nosso eleitor não deve enfocar a eleição presidencial de outubro como a busca dum salvador da pátria. Muitos já temos visto na história da gente este filme, com variados protagonistas seja à direita ou à esquerda da história brasileira. Agora o nosso movimento da ecologia, da cidadania, da ciência deve buscar alternativas que sejam de bom senso, não violentas, para reduzir os índices que já estão violentos demais no dia a dia de todos nós (várias e várias e várias formas de violência), para que a população em geral não venha a sofrer mais do que já sofre, ao contrário. Que nesta eleição e neste movimento amplo e geral para mudar e avançar ao invés de retrocessos haja a construção coletiva dum futuro mais feliz para todos e todas com soluções pelo  menos racionais, uma política que seja contemporânea e cidadã. A luta agora é, segundo a ótica da equipe deste nosso blog Folha Verde News, que nós todos tenhamos empenho total, buscar mudanças na realidade do país: na opinião da gente aqui o rumo é procurar o caminho do desenvolvimento sustentável, capaz de dar um equilíbrio novo aos interesses econômicos e aos ecológicos, em que se divide a Nação, buscando justiça, alegria e paz social a todos estão nessa virada, uma virada entre o que faz sofrer a maioria dos brasileiros e das brasileiras e por outro lado já  nos faz sonhar com atalhos para uma vida melhor.


Aqui estão duas caras da mesma...

...da mesma violência da realidade?

Como um primeiro momento deste debate que é bem maior do que os limites desta pequena matéria aqui do nosso blog precisamos incluir também dar valor á educação, à cultura e à arte da vida. A gente está aqui e agora sugerindo que se analise o que os pesquisadores e as universidades estão desenvolvendo em seus estudos no caso sobre a violência da realidade brasileira, algo que não é de agora. Assim, a gente sugere por exemplo e para começar: a mídia e os especialistas ou as lideranças de hoje venham a consultar  e pesquisar o estudo  sobre a busca da Ecologia Humana feito na UNESP pela Márcia Andréia Ferreira Santos. Ela no seu estudo tenta uma compreensão das teorias focadas nas patologias individuais, entra pela teoria da Desorganização Social, cita a tendência Estrutural-Funcionalista do Desvio e da Anomia, mostra aTeoria da Associação Diferencial e a do Aprendizado Cultural, também a cultura do Controle,  para chegar ao seu destino, que é a Teoria da Ecologia Humana. A metodologia desta pesquisa se baseou em um  levantamento bibliográfico, claro, investigando cada teoria analisada, que têm a sua contribuição "apesar de algumas tendências e teoria apresentarem um  conteúdo estigmatizante", como argumenta Márcia Santos. Nesse sentido se  ressalta no trabalho desta pesquisadora que teorias precisam ser analisadas considerando-se o contexto histórico no qual as tendências foram elaboradas. Dentre as culturas que explicam as causas da criminalidade violenta (algo que hoje é uma situação limite no Brasil),  a Ecologia Humana é a que mais se aproxima das abordagens geográficas, as hipóteses que a fundamentam se baseiam em elementos presentes no espaço de cada região de cada uma das ocorrências, realmente, temos que analisar vendo o local, o momento e todas as circunstâncias seja uma facada como a de Juiz de Fora, seja um assalto relâmpago, um estouro de caixa eletrônico, uma agressão à mulher ou a uma pessoa mais fraca, seja qual seja a manifestação cada vez mais variada e profunda, cada caso é um caso, levando em conta detalhes que podem condicionar todo e qualquer acontecimento criminal. A busca então da Ecologia Humana parece ser uma esperança de superação dos índices cada vez mais intensos de violência na vida brasileira atual. 

No Rio e em todo o Brasil...

 ...a cultura da violência made in USA


Fontes: Revista Levs - El Pais
              folhaverdenews.blogspot.com 

7 comentários:

  1. "Uma alimentação mais natural, a busca dum tipo de vida com menos tensão, menos poluição, sem ódio, com yolerância, isso pode ajudar a pessoas ser não violenta, mas nã há Yoga ou cultura da vida capaz de enfrentar tanta violência no dia a dia da realidade de todos nós": comentário de Izabel Moreira, do Rio de Janeiro, que nos envia noticiário da população carioca enfrentando tiroteios e outras formas de violência em todos os cantos da sua cidade.

    ResponderExcluir
  2. "Mudar a realidade é algo muito difícil e depende do conjunto da população, de polísticas públicas, mas cada um pode mudar um pouco seu estilo de vida, isso a longo prazo pode ajudar, mas precisamos hoje aqui de ações imediatas, urgentes, mas não do tipo de intervenção militar, federal, que após tantos meses não resolveu quase nada": comentário também de Izabel Moreira, psicóloga, Rio de Janeiro.

    ResponderExcluir
  3. Já recebemos outras mensagens e temos mais alguns dados e informações, aguarde a nossa edição desta seção. volte a acessar os comentários para conferir: você pode por aqui a sua opinião ou se preferir envie sua mensagem por e-mail para a redação do blog navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  4. Videos ou videoclips (como este do Gabriel Pensador postado aqui na nossa webpágina hoje), fotod, material de ionformação, sugestão de matérias, críticas aos nossos posts, você poderá também enviar diretamente pro e-mail do editor de conteúdo deste blog padinhafranca693@gmail.com

    ResponderExcluir
  5. "Deveria ser feita uma campanha intensa para estiumular na mídia ecologia, cultura da vida, não violência, para se tentar criar uma outra mentalidade no país, através da educação, algo que funciona pelo menos a médio prazo, basta ver o sucesso de campanhas comerciais de produtos que mudam hábitos de consumo rapidamente": comentário de João José da Silva Matos, de Belo Horizonte (Minas Gerais), redator de publicidade e ativista de cidadania.

    ResponderExcluir
  6. "Não sou de direita nem de esquerda, eu acredito que sem violência e com educação, cultura, cidadania, ética, Deus, os problemas problemas poder´ão ser resolvidos, mas veja, Bolsonaro ainda se recuperando no hospital fez gesto de atirar, de uso de armas, este cidadão está disparando uma guerra entre radicais no Brasil, não vou resolver nada e a população vai sofrer mais do que já sofre": comentário de Vitor Sanches, de Vitória (ES), tecnólogo.

    ResponderExcluir
  7. "Gabriel Pensador fala por muita gente, este videoclip é fora do comum em sua força social": comentário de Lúiza Alves, de Ribeirão Preto (SP), empresário de confecção.

    ResponderExcluir

Translation

translation