quarta-feira, 17 de outubro de 2018

JOVENS PESQUISADORES CONSEGUEM UM GRANDE AVANÇO DA QUÍMICA E DA TECNOLOGIA EM PORTUGAL (É ALGO QUE PRECISA CHEGAR AO BRASIL URGENTEMENTE)

Estudantes de faculdade de Química em Coimbra criaram uma startup e um produto que transforma óleo usado em detergente sustentável: esta solução é ao mesmo tempo ecológica e econômica



 Aqui a equipe básica da FCTUC e da EcoXperience


Ainda em agosto, a gente recebeu um e-mail aqui no blog da ecologia e da cidadania, contendo um resumo sobre esta notícia de grande importância ambiental, informando sobre uma startup portuguesa, a  EcoXperience, criada por um grupo de estudantes de Química da Faculdade de Ciência e Tecnologia de Coimbra (FCTUC) finalmente encontrou uma solução sustentável para um problema cada vez mais preocupante na atualidade, os detergentes poluem demais as águas e o ambiente. Hoje, confirmando esta boa notícia, o site do Instituto de Engenharia revela que este empreendimento recebeu cerca de 700 mil euros de fundos europeus que estavam destinados a apoiar a criação de detergentes ecológicos, uma grande necessidade hoje.


EcoXperience é o resultado de muito trabalho e pesquisa 


Segundo a jornalista Cristina Pinto, que nos enviou a primeira mensagem aqui para o blog Folha Verde News sobre este novo produto ecologicamente avançado, os novos fundos serão utilizados para o desenvolvimento da One-N-Done, uma cápsula que converte os óleos usados em detergente ecológico. A cápsula também chamada de 100% verde transformará óleos de cozinha em diferentes detergentes, como sabonetes e líquido para máquinas de lavar roupa ou louça. Os óleos alimentares representam um resíduo altamente poluente, um litro de óleo contamina até um milhão de litros de água! O planeta passa por dificuldades no que concerne a água, pois nunca estivemos num momento de tanta falta, escassez ou poluição dos recursos hídricos. Uma das grandes preocupações em relação a água tem ligação com sua poluição por agentes químicos como os detergentes. Uma parte das pessoas não sabe, mas os detergentes usados para lavar roupas possuem entre 35% e 75% de sais de fosfato. O fosfato é o responsável por diversos problemas na água como a inibição da biodegradação das substâncias orgânicas. O grande problema está no fato de que substâncias que não são biodegradáveis não têm como ser exterminadas pelo tratamento de esgoto independente do fato de se ele é público ou privado. Existe ainda o problema dos detergentes que possuem base de fosfato e que causam eutrofização. Esse processo tira o oxigênio da água fazendo com que vários organismos acabem morrendo. O fosfato em excesso pode fazer com que o curso de água fique coberto por algas assim como outras plantas, a espuma nem é o maior drama e sim o maior alerta...



EcoXperience busca uma solução para a poluição das águas...



...causada pelos detergentes comuns aqui e em todo planeta


Recentemente, a empresa dos jovens de Coimbra EcoXperience, recebeu 700 mil euros de fundos europeus, dirigidos para a criação de detergentes mais ecológicos.O lançamento está previsto para os próximos dois anos, assim que a startup portuguesa tenha conseguido desenvolver uma proteína responsável pelo projeto, proteína essa que funciona como catalisador biológico, algo assim que permite transformar o óleo usado em detergente que virá a ser 100%  biodegradável. Esta tecnologia, em processo de patenteamento, recorre a uma proteína existente no corpo humano, produzida pelo pâncreas para processar as gorduras ingeridas, adianta pesquisa da FCTUC.  Em termos de mercado internacional, a startup vai fazer um levantamento de todos os tipos de óleos que são usados no mundo “É o nosso o objetivo o de encontrar uma solução para cada zona geográfica do planeta e até mesmo desenvolver uma fórmula universal”, reforça uma relatório da Faculdade de Ciência e Tecnologia de Coimbra, a  FCTUC, de Portugal. Há esperança que este avanço da Química, uma solução biológica, tecnológica e sustentável, chegue ao Brasil quem sabe já no próximo ano. 

Aqui, uma imagem símbolo da EcoXperience



One-N-Done é a cápsula “mágica” para transformar os óleos em agentes de limpeza inovadores e ecológicos: este projeto, que envolve uma dezena de pesquisadores do Departamento de Química da FCTUC, a Tecnocanto e o grupo Sonae, prevê que esta cápsula esteja no mercado dentro de dois anos, no máximo uma vez que a EcoXperience já desenvolveu uma tecnologia para transformar os óleos usados em agentes de limpeza através de uma proteína que funciona como biocatalizador.




A pesquisa provocou uma romaria de estudantes à Coimbra...


(Confira na seção de comentários aqui deste nosso blog de ecologia e de cidadania mais informações e também mensagens, OK?)




...para entender como funciona a One-N-Done




Fontes: institutodeengenharia.org.br

              folhaverdenews.blogspot.com

9 comentários:

  1. Já recebemos algumas mensagens e temos mais algumas informações, aguarde logo mais a edição de comentários e venha conferir aqui, OK?

    ResponderExcluir
  2. Você pode colocar aqui a sua opinião ou informação, se preferir ou precisar, mande um e-mail direto para a redação deste nosso blog via o endereço navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  3. Vídeos, fotos, material de informação, sugestão de pautas, noticiário, críticas, você pode enviar também diretamente pro e-mail do nosso editor padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  4. "Esta tecnologia, em processo de patenteamento, recorre a uma proteína existente no corpo humano, produzida pelo pâncreas para processar as gorduras ingeridas. Na prática, a fórmula desenvolvida pela EcoXperience, em parceria com a Universidade de Coimbra, mimetiza o que acontece no corpo humano, ou seja, transforma os triglicerídeos presentes nos óleos usados em novos componentes": comentário de Cristina Pinto, jornalista que nos enviou um e-mail sobre este avanço de jovens pesquisadores de Química, em Coimbra, Portugal.

    ResponderExcluir
  5. "Este projeto envolve uma dezena de pesquisadores do Departamento de Química da FCTUC, a Tecnocanto e o grupo Sonae, prevê que esta cápsula esteja no mercado dentro de dois anos, uma vez que a EcoXperience já criou uma tecnologia para transformar os óleos usados em agentes de limpeza através de uma proteína que funciona como biocatalizador. E
    esta tecnologia, em processo de patenteamento, recorre a uma proteína existente no corpo humano, produzida pelo pâncreas para processar as gorduras ingeridas. Na prática, a fórmula desenvolvida pela EcoXperience, em parceria com a Universidade de Coimbra, mimetiza o que acontece no corpo humano, ou seja, transforma os triglicerídeos presentes nos óleos usados em novos componentes": comentários de César Henriques e Filipe Antunes, dois dos fundadores desta Startup da FCTUC em contato com o Diário de Notícias.

    ResponderExcluir
  6. "Sustentada na filosofia da Economia Circular – uma economia que tem como premissa a transformação de resíduos em produtos inovadores -, a EcoXperience pretende disponibilizar, tanto para o setor industrial como para uso doméstico, «uma cápsula idêntica à que colocamos na máquina de lavar roupa ou louça, “recheada” com todos os agentes necessários para a transformação do óleo usado e os ingredientes essenciais para os vários produtos de limpeza (perfume, corantes, etc.). Assim, valorizamos um resíduo e fornecemos detergentes altamente ecológicos, sem produtos químicos agressivos para o ambiente como acontece em geral com os atuais detergentes": comentário técnico dos pesquisadores César Henriques e Filipe Antunes, da FCTUC para explicar o processo.

    ResponderExcluir
  7. "O objetivo desta cápsula One - N- Done é democratizar a forma como as pessoas têm acesso aos detergentes, permitindo obter produtos de origem vegetal eficazes e amigos do ambiente, economizando tempo e dinheiro. Estima-se que a One-N-Done permita ao consumidor final uma poupança média anual de 45% em detergentes": comentário de Cristina Pinto, a jornalista que tomou conhecimento desta inovação e nos enviou informações por e-mail, a gente agradece, em nome do blog e da ecologia.

    ResponderExcluir
  8. "Na Futurecom 2018, programas do Brasil para startups serão unificados, calendários de programas como o InovAtiva serão sincronizados": comentário de Rafael Moreira, secretário do MDIC, que ainda explica, "Isso se trata de uma visão estratégica para os próximos quatro anos".

    ResponderExcluir
  9. "Há boas expetativas para o CASE, evento organizado pela Associação Brasileira de Startups e previsto para novembro deste ano": comentário de Giovanna Wolf Tadini, jornalista, que nos envia um material sobre a tendência das Startups: vamos analisar o material e divulgar sim numa matéria especial sobre esta inovação empresarial. Agradecemos, paz aí.

    ResponderExcluir

Translation

translation