sábado, 20 de outubro de 2018

MANAUS COBERTA POR FUMAÇA DEVIDO A QUEIMADAS MESMO AGORA NUMA ÉPOCA QUANDO CHOVE

A capital do Amazonas enfrenta nova estação de queimadas e fumaça por toda a região relatam a ambientalista e advogada Carolina Salles e o jornalista Vandré Fonseca (do movimento Amazônia Real) no site da Carta Capital dentro do webpaço de meio ambiente Envolverde: confira aqui no blog da gente um resumo desta situação que mostra o alcance da falta de gestão ambiental por lá também, falha lá, por aqui e enfim por todo o Brasil a dano da saúde da população e da ecologia

Inpe tem feito levantamentos também por satélites...


...das queimadas e fumaceira de novo na região de Manaus

As fotos de Euzivaldo Queiroz e Jander Robson sobre a fumaceira cobrindo a cidade em especial na zona sul de Manaus sinaliza o problema que se estende por toda Manaus e região nestes dias. A incômoda névoa de fumaça que chegou a ser mais intensa ainda na semana passada é provocada pelo número de queimadas no estado do Amazonas, de acordo com a avaliação do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe)“Não é nada particular de Manaus, toda área aí desta região amazônica está coberta por fumaça”, nos confirmou o coordenador do Programa de Queimadas do Inpe, Alberto Setzer que ainda explicou: "Municípios mais a leste de Manaus tem mais focos, mas a fumaça é transportada para toda a região. E não é uma situação como nós já tivemos no passado, em que boa parte da fumaça vinha do Pará e até de Rondônia e Mato Grosso. Nesse caso, ela é produzida por aqui mesmo em volta de nós aqui na capital". 


Entidades ambientais, pesquisadores e mídia voltam a denunciar...

...queimadas e então chuva com fumaça na região de Manaus


A capital do Amazonas tem amanhecido ao longo de setembro e em outubro agora encoberta por densa fumaça branca. O órgão responsável pelo controle o monitoramento ambiental do estado, o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) culpa os focos de calor na Amazônia Legal pela situação. No entanto, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e o professor do curso de meteorologia e também pesquisador da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Rodrigo de Souza, não vão tão longe para explicar a situação. “Essa situação é fruto de queimadas na região metropolitana de Manaus”. De acordo com os dados do monitoramento realizado pelo Inpe nestes últimos dias foram registrados 543 focos de queimadas por ali. "Os municípios do Careiro (distante 88 quilômetros de Manaus) e de Manacapuru (a 68 quilômetros da capital) registraram 264 e 102, respectivamente, sendo os com maior número de ocorrências”. No site do instituto nacional num levantamento feito nos últimos 30 dias estão registrados 5.882 focos de incêndios e de queimadas. No mesmo período ano passado haviam sido 3.057 focos, o que indica um aumento bastante grande do problema, conforme também divulgou o Portal da Amazônia. 


O problema é grande e amplo não somente de visibilidade



Os dados do Inpe apontam que houve uma mudança na localização dos focos de calor nas últimas semanas. As queimadas, que atingiam principalmente o sul do Amazonas, passaram a ocorrer principalmente em municípios próximos à capital e regiões do leste do estado, contribuindo para que a fumaça chegue a capital do estado. Em setembro, nos municípios de Lábrea, Manicoré, Boca do Acre e Apuí, todos no sul amazonense se concentraram mais da metade dos focos de calor detectados pelo satélite de referência na Amazônia. Em outubro, Manacapuru (7,8% dos focos), Autazes (5,4%) e Itacoatiara (5,2%) lideram o ranking dos municípios com maior número de focos de calor e a consequente fumaceira, que prejudica não só a visibilidade, mas o clima, o ambiente e a saúde da população. Mais um problema de gravidade que clama por uma gestão ambiental governamental no Brasil, a falta de gerenciamento especial do meio ambiente é aliás comum, de diferentes formas, nas várias regiões brasileiras, em todos os biomas, em cada lugar com a manifestação típica de suas condições socioambientais. "Numa época em que a ecologia é por consenso de variados cientistas e de vários países um fator tão vital como a economia para o desenvolvimento de verdade, não podemos mais aceitar a falta de gestão ambiental por parte dos governos, esta gestão é o 1º passo para uma realidade mais sustentável no Brasil", comenta por aqui no blog Folha Verde News nosso editor o ecologista Antônio de Pádua Silva Padinha, que tem feito várias postagens com este conteúdo que todo o movimento ecológico, científico e de cidadania considera hoje em dia urgente. 


Fumaceira prejudica todo o meio ambiente e a saúde da população

Até em Manaus em plena Amazônia?...

(Confira na seção de comentários do blog da gente mais informações, mais opiniões e também mensagens)


Falta de gestão ambiental governamental em Manaus e em todas as regiões e biomas do Brasil: um dos dramas mais graves hoje em dia aqui e em todo país que um dia foi da natureza


Fontes: envolverde.cartacapital.com.br
             portaldaamazonia.com
             carolinasalle.jusbrasil.com.br
             folhaverdenews.blogspot.com

9 comentários:

  1. "Queimadas e fumaça até debaixo de chuva? Os focos de queimadas foram aumentando ao longo do ano, até atingir o pico no mês passado. Em setembro, o Inpe registrou 4.936 focos de queimadas no estado, contra 3.192 focos no mesmo período de 2017. Um aumento de 54,6%. Em 2015, ano com maior registro de queimadas em setembro no Amazonas, foram detectados 5.006 focos. Uma situação que está se tornando crônica e crescente": comentário de Vandré Fonseca, jornalista, Amazônia Real.

    ResponderExcluir
  2. “Está praticamente igual ao que tivemos em 2015, que foi o pior ano nessa época entre setembro e outubro”: comentário do coordenador do programa de queimadas do Inpe, Alberto Setzer.

    ResponderExcluir
  3. "Em setembro, os municípios de Lábrea, Manicoré, Boca do Acre e Apuí, todos no sul do estado, concentraram mais da metade dos focos de calor detectados pelo satélite de referência no Amazonas. Em outubro, Manacapuru (7,8% dos focos), Autazes (5,4%) e Itacoatiara (5,2%) lideravam o ranking dos municípios com maior número de focos de calor": comentário do
    superintendente do Ibama no Amazonas, José Leland, que acredita que essa migração das queimadas se deva ao predomínio de pequenos agricultores, que utilizam o fogo no preparo da terra para o plantio, no leste do estado. Já no sul do estado, onde estão as maiores áreas de floresta derrubada, os desmatadores estão usados tratores para limpar o terreno. “Até porque eles não querem fazer fogo para não chamar a atenção e não por consciência ecológica”, afirma ainda Leland.

    ResponderExcluir
  4. "Toda essa fumaça em Manaus é provocada por queimadas nos municípios vizinhos, tenho constatado e denunciado isso há cinco anos. Queimadas para a abertura de pastos e implantação de novas culturas agrícolas, na Região Metropolitana de Manaus e no Sul do Amazonas são apontadas pelo Centro Estadual de Mudanças Climáticas (Ceclima) como responsáveis pela fumaça que vira e mexe encobre o céu da capital. Conforme levantamento do órgão, apenas na última semana, 375 focos de calor foram registrados no Estado": comentário de
    Comentário de Carolina Salles, ela é ecologista, mantém um blog, doutorada em Direito Ambiental e Sustentabilidade, mestra em Direito Ambiental. Ativista do Direito dos Animais Degree International Student.

    ResponderExcluir
  5. Logo mais, aqui nesta seção, opiniões, informações e outras mensagens, aguarde nossa próxima edição de comentários e venha conferir. Você também pode participar desta edição, poste aqui seu conteúdo ou mande uma mensagem pro e-mail do blog Folha Verde News que postamos para você, mande então e-mail para navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  6. Vídeos feitos aí em Manaus, material como fotos ou notícias, críticas, sugestão de pauta, você também pode mandar pro e-mail do nosso editor aqui deste blog de ecologia e de cidadania, envie para padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  7. "Hoje nenhuma ocorrência de queimada urbana foi identificada pelo Corpo de Bombeiros, na capital, enquanto os municípios do entorno, como Presidente Figueiredo, Autazes e Novo Aripuanã somaram 99 focos de incêndio. O que se observa é que não houve foco de calor dentro de Manaus associado à fumaça que se instalou na cidade, mas sim nos municípios do entorno, um problema que não é local mas regional e estadual": comentário de Luís Piva, coordenador do Ceclima e do Centro Estadual de Unidades de Conservação (Ceuc).

    ResponderExcluir
  8. "Consideradas áreas prioritárias pelo Ceuc, que monitora semanalmente os focos de calor com o objetivo de obter o perfil das queimadas, a Região Metropolitana de Manaus e o sul do Amazonas colocam o Estado com 375 focos de calor, nos últimos sete dias, como o 3º com mais casos do tipo em toda a Amazônia Legal, perdendo apenas para o Pará (1.142) e o Maranhão (556)": comentário extraído das notícias sobre este problema enviadas ao nosso blog por e-mail por Manuela de Morais, professora e ecologista em Manaus.

    ResponderExcluir
  9. "Realmente, uma vergonha a falta de gestão ambiental por parte das autoridades políticas e governamentais do país, seja em Manaus ou onde for, o lado ecológico do Brasil está muito prejudicado com tantos ruralistas no poder ou em torno dele em todos os lugares e setores": comentário de Afrânio Ribeiro, que é economista e tua junto a empresas na região da Grande São Paulo.

    ResponderExcluir

Translation

translation