segunda-feira, 1 de outubro de 2018

POR AMOR GAROTA DE 14 ANOS CRIA APLICATIVO PARA SALVAR SUA AVÓ DO ALZHEIMER: MÉDICOS DO JAPÃO E DOS ESTADOS UNIDOS APROVARAM A SUA FERRAMENTA DE AJUDA

Identify de Emma Yang é um aplicativo que ajuda a socorrer pacientes perdendo a memória ou os vínculos com a realidade da vida: são milhões de pessoas que sofrem o problema que atinge até mesmo não idosos 



Emma Yang usou recursos da Inteligência Artificial


A doença de Alzheimer, uma doença do século, mais de 44 milhões de pessoas sofrem desta doença degenerativa, caracterizada por uma progressiva deterioração mental. As pessoas afetadas podem ter dificuldade em lembrar coisas recentes, o nome das pessoas que desejam ou as datas dos eventos mais importantes de sua vida. No Brasil, são pelo menos 3 milhões os casos mais graves e por aqui ainda não está sendo usada esta ferramenta digital e criativa, que foi desenvolvida em Nova York, por Emma Yang, garota de 14 anos, que se comunicava com a avó, em Hong Kong, que sofria de doença de Alzheimer e estava perdendo o controle da doença. Pela distância para manter contato, a situação estava muito difícil e o problema de saúde só piorava as coisas: “Costumávamos conversar através de fotografias que eu enviava, mas ultimamente nem sempre ela reconhecia as pessoas que apareciam nas imagens”, contou Emma Yang que desde os oito anos de idade mostrava talento com a tecnologia digital. Depois, começou a programar e decidiu criar um aplicativo baseado em Inteligência Artificial (IA) e de reconhecimento facial para ajudar as pessoas afetadas por falta de memória ou mesmo Alzheimer, como a sua avó japonesa: "Queria que ela não perdesse o contato com seus entes queridos, que pudesse reconhecer as pessoas e não ter complicação na vida. Eu li muitas coisas sobre como a IA e o reconhecimento facial estão realmente evoluindo e estão sendo aplicados em mais áreas, especialmente nos serviços de saúde”, explicou ainda Yang em um podcast postado por Sincerely Hueman. Médicos neurologistas do Japão e dos Estados Unidos aprovaram o aplicativo, confirmando assim a inteligência desta garota, um dom que parece ser de toda a nova geração de seres humanos. 

 Médicos explicam que esta doença destrói a pessoa

O aplicativo de Emma Yang é o Identify

O aplicativo com base em fundamentos da Inteligência Artificial possui duas ferramentas principais, há o recurso ‘Atualizações’ , que ajuda os pacientes a ver o que seus entes queridos fazem. São os membros da família que enviam fotografias de suas atividades diariamente e o aplicativo usa a identificação facial para rotular seus rostos e permitir que o usuário reconheça quem eles são. Esta boa ferramenta foi chamada de Identify e ajuda o paciente de Alzheimer a reconhecer sua família e amigos ou aumentar a sua qualidade de vida. Através do uso da câmera do celular, uma foto da pessoa é tirada e o aplicativo realiza o reconhecimento facial para indicar ao paciente o nome dessa pessoa e o relacionamento que ela tem com ela. Mas há ainda outras funções, se a pessoa afetada pelo Alzheimer tentar chamar o mesmo contato duas ou mais vezes por um período de cinco minutos, o aplicativo irá lembrá-la que ela acabou de ligar e perguntará se ele ainda deseja continuar a telefonar. Além disso, o aplicativo inclui uma tela de lembrete que lista os compromissos e tarefas do seu dia. Este expediente pode dar maior segurança e autocontrole à avó de Emma Yang, do outro lado do planeta. 


O amor de Emma Yang  estimulou a sua ciatividade


“Eu sou apaixonada por tecnologia e sua aplicação no mundo real, acredito que com o avanço da informática, os problemas que enfrentamos hoje podem ser resolvidos e percebi que ainda hoje não há aplicações no mercado que realmente ajudem o dia a dia de pessoas com Alzheimer, como é o caso da minha avó, ela foi a minha motivação maior". (Emma Yang, 14 anos, Nova York)



Perda de memória e de controle na vida e no ambiente


(Confira na seção de comentários aqui nesse blog mais detalhes sobre esta criação da garota e também informações sobre o problema da memória e do Alzheimer, inclusive com observações de médico neurologista, através do site de saúde Minha Vida) 



Nos comentários aqui informações sobre este problema


Fontes: Instituto de Engenharia - Minha Vida
              folhaverdenews.blogspot.com

7 comentários:

  1. A paixão da garotinha Emma Yang pela tecnologia vem de longe, ela se interessou por codificação e programação quando tinha oito anos de idade. Seu primeiro contato foi através do Scratch , uma linguagem de programação para crianças e imediatamente ela aprendeu o desenvolvimento com HTML e CSS Web, os segredos da linguagem Java e para usar aplicativos como o MIT App Inventor.





    ResponderExcluir
  2. "Alzheimer: o que é, sintomas, tratamentos e causas. Esta doença pode ser classificada em dois tipos e não é apenas um mal que atinge idosos. Muitas pessoas com início precoce estão em seus 40 e 50 anos. A doença de Alzheimer de início mais precoce (também conhecida como início precoce) afeta pessoas com menos de 65 anos. Até 5% dos pacientes com Alzheimer apresentam um início mais precoce. O normal é um
    Início tardio e ele é caracterizado quando os sintomas se manifestam após os 65 anos, sendo os casos mais frequentes": comentário do médico Dr. Andre Felicio, Neurologia - CRM 109665/SP, no site Minha Vida. A seguir mais informações.



    ResponderExcluir
  3. "Pesquisadores acreditam que, para a maioria das pessoas, a doença de Alzheimer é causada por uma combinação de fatores genéticos, de estilo de vida e ambientais que afetam o cérebro ao longo do tempo. A causa essencial ainda é desconhecida, mas seus efeitos deixam marcas fortes no paciente. Normalmente, atinge a população de idade mais avançada, embora se registrem casos em gente jovem. Os cientistas já conseguiram identificar um componente genético do problema, só que estão longe de uma solução": comentário também do médico neurologista André Felício, no site de saúde Minha Vida.

    ResponderExcluir
  4. "No Brasil, existem cerca de 15 milhões de pessoas com mais de 60 anos de idade e 6% delas têm a doença de Alzheimer, segundo dados da Associação Brasileira de Alzheimer (Abraz). Em todo o mundo, 15 milhões de pessoas têm Alzheimer, 443 milhões em todo o planeta, é doença incurável acompanhada de graves transtornos às vítimas. Nos Estados Unidos, é a quarta causa de morte de idosos entre 75 e 80 anos. Perde apenas para infarto, derrame e câncer": comentário no site IE, Instituto de Engenharia que postou notícia sobre o aplicativo desenvolvido por esta garota de 14 anos.





    ResponderExcluir
  5. Logo mais, mais informações em nova edição de comentários: você pode participar colocando aqui sua opinião ou enviando a sua mensagem para nossa redação, que aí postamos para você. Em debate, a importância na saúde dos aplicativos e a nova geração que tem dom para a Inteligência Artificial. O e-mail da gente é o navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  6. Vídeos, fotos, material de informação, sugestões de pauta ou críticas, você pode também enviar diretamente pro e-mail do editor do blog padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  7. "Esse videoclip clássico de Gonzaguinha, da década de 80, mostra um problema muito atual, falta de memória da nossa gente no Brasil, eu me lembro bem desta música e ela tem a ver com nossa realidade hoje ainda": comentário de Rubens Santos, de São Paulo, IA, a primeira mensagem que a gente recebeu após postar esta matéria hoje aqui no blog. Aguarde, participe e venha conferir depois outros comentários.

    ResponderExcluir

Translation

translation