quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

AVES QUE MIGRAM OU DA SECA OU DO FRIO SÃO AVISTADAS POR AQUI NESTA ÉPOCA DE CHUVAS NO FINAL DO ANO: É O CASO DA CHOCA BARRADA QUE TEM VÁRIOS NOMES MAS UM CANTO INCONFUNDÍVEL

Choca Barrada ou Xorró ou ainda chamada de Cuco volta a aparecer por aqui no Nordeste Paulista e no Triângulo Mineiro neste final de ano podendo ter migrado do frio da Cordilheira dos Andes ou da seca da Caatinga do nordeste brasileiro ou ainda da região do Mato Grosso do Sul uma espécie cada vez mais rara e estudada também pelo seu canto original por ornitólogos, biólogos e músicos



Ave que migra por causa da seca ou do frio...



Estas aves que cantam com piados graves já estão ameaçadas de extinção devido a mudanças do clima, do ambiente ou destruição do seu habitat, elas têm sido avistadas ainda por aqui nesta região de divisa entre São Paulo e Minas Gerais nas proximidades da Serra da Canastra neste tempo de chuvas com o fim da primavera e a chegada do verão, em busca de alimentos e de reprodução. O editor do blog da gente Folha Verde News vem observando nesta época já há alguns anos a migração destes pequenos pássaros, que logo depois voltam a sumir: agora neste final de dezembro, um casal fez ninho num jardim próximo ao local onde funciona a redação do blog, uma estrutura natural bem feita que resiste até às chuvas mais bravas ou intensas. A bióloga Júlia Castro, que tem pesquisado os pássaros que migram, fotografou também esta aves para um estudo que ela está preparando para a Faculdade de Música, da Universidade Federal da Bahia, isso devido também à sonoridade fora do comum destes passarinhos. 

...acabou por se reproduzir perto aqui da gente


"Com tantos assuntos graves sobre agrotóxicos, violência ambiental, problemas políticos na área do meio ambiente do Brasil agora, de repente, mudei a pauta do blog para acompanhar um pouco a luta destas aves para sobreviver, elas são um símbolo de todas as dificuldades da ecologia aqui, agora", comenta o ecologista Antônio de Pádua Silva Padinha, que edita este webespaço há cerca de 8 anos e está no momento registrando hoje em dia (pela medição Google) perto de 900 mil visualizações no total deste tempo: "A gente discute os mais variados problemas da ecologia, da cidadania, da violência, de repente, foi este pequeno passarinho cantor que se destaca neste começo de verão por aqui em Franca, bem perto do Triângulo Mineiro onde a Choca Barrada ou o Xorró é também apelidado como "eu sou eu coroné", expressão onomatopaica que tenta imitar a cantoria destas aves, que você pode conferir hoje neste vídeo postado aqui no blog da gente. 


O macho tem uma penugem mais discreta e amarronzada

A fêmea tem um topete e barras em branco e preto pelo corpo


Pelo que me informou por telefone a bióloga e pesquisadora do Mato Grosso do Sul, Júlia Castro, que me mandou fotos e informações sobre estas aves, elas tanto podem estar vindo do frio da América do Norte (México), como do Panamá ou dos Andes (nas regiões da Colômbia e da Venezuela) como da costa do Caribe, onde por causa também da sua cantoria têm sido pesquisadas e vistas, apesar de serem cada vez mais raras. A Choca Barrada é conhecida em alguns lugares também como Cuco. Todos estes nomes populares, dependendo da região ou das matas em que aparecem, estão hoje bem classificados ou codificados pelos ornitólogos. Um deles, o pioneiro desta ciência no Brasil, John Dalgas Frish, vem observando e gravando aves raras ou comuns em vários biomas do Brasil e até mesmo no bairro Cidade Jardim na Grande São Paulo, onde mora. Ele também observou e gravou nessa época de chuvas de fim ano a Choca Barrada ou Xorró ou Cuco (Thamnophilus doliatus) até em quintais de São Paulo onde ainda hoje apesar da poluição sobrevivem várias especies e famílias de aves. Dalgas Frish chegou a comentar na Folha de São Paulo que estas aves quando por aqui no interior do Brasil começa a esquentar demais migram para regiões montanhosas da Bolívia e da Argentina, fugindo através da Serra da Canastra, onde tem muita água e alimentos para elas, que caçam borboletas e invertebrados, pousando em arbustos, bem no meio das árvores para escaparem de predadores. 



Nome Científico:Thamnophilus doliatus

Família: Thamnophilidae

Ordem: Passeriformes

Distribuição: Ocorre do México à Bolívia, Norte da Argentina e, no Brasil, na faixa central do País, desde o Paraná até Roraima e o Amapá.

Alimentação: Essencialmente invertebrados, que procura na parte central e alta dos arbustos, sempre sob piados graves.

Reprodução: O ninho, em forma de taça, é construído em arbustos fechados e nas bordas de mata. A fêmea geralmente põe dois ovos, que são exclusivamente incubados por ela num período de duas semanas. Quanto à alimentação, o casal se reveza na tarefa. Depois de duas semanas, eles abandonam o ninho.





O canto melodioso é bem original...

...e parece uma chamada de alerta (confira no vídeo)


Além do canto inconfundível, é de se admirar a plumagem deste pássaro, não tanto no macho, com uma coloração entre marron e negra, mas em especial nas fêmeas com o corpo todo barrado, barras em branco e preto exceto na cabeça, a
a Choca Barrada feminina tem cor pardo ferrugínea quase uniforme, "sendo suas partes inferiores mais claras, a face estriada e olhos também claros, os lados da cabeça são estriados de um pardo-anegrado. Este pássaro é também chamado de Maria-Cocá ou Xorró-Cocá (em Minas Gerais) e também de Gata-Véia (no interior paulista), uma ave que apresenta um canto melodioso de chamada, com uma sequência acelerada e depois descendente", conforme explica tecnicamente um estudo feito pelo site Wikiaves.  Um detalhe a mais chama a atenção na sua estampa, no alto da cabeça: as penas eriçadas, que ficam assim a maior parte do tempo, com um topete esticado, compondo uma imagem de medo.  Um pássaro frágil, lindíssimo, que vive fugindo da seca ou do frio bem como de seus muitos predadores, que são também os que destroem o seu habitat, agricultores ou criadores de gado, madeireiros, desmatadores, caçadores de preciosidades da nossa natureza. Isso é o que mais ameaça, além de felinos, gaviões e outros animais, mas os chamados humanos ou bichos das cidades e das fazendas são os seus piores inimigos. Bem, mas tudo isso para a gente dizer que vimos algumas destas aves migratórias por aqui onde um casal fez um ninho, nascendo um filhote que sobreviveu já está voando por aí, raros e não em bandos, estes passarinhos são como refugiados do clima e o seu canto me parece de alerta da nossa última ecologia. 


Agora você conhece a Choca Barrada ou Xorró ou Cuco um passarinho frágil que se destaca pelo seu canto  e pelas migrações que vive fazendo para sobreviver à violência da realidade: imigrantes  ou até ecologistas hoje em dia e os refugiados do clima 


Fontes: Wikiaves - Terra da Gente/EPTV -
              Folha de São Paulo -  Google - 
              folhaverdenews.com.br

7 comentários:

  1. Esta pequena ave das Américas com cerca de 10 centímetros chama a atenção pelo seu canto original e pelo fato de viver sempre fugindo da seca ou do frio, como um refugiado do clima, já rara e em extinção, nasceu um filhote no jardim aqui do blog da gente em Franca (SP) e virou esta pauta.

    ResponderExcluir
  2. Tem conteúdo de ornitologia, de biologia, de música da natureza mas também este pequeno pássaro cantor simboliza os imigrantes, os ecologistas em defesa do seu habitat ou os refugiados do clima, tema que abordaremos em outra edição por aqui, OK?

    ResponderExcluir
  3. Você pode por sua informação ou comentário direto aqui nesta seção ou então mandar o conteúdo pro e-mail do blog da gente que postamos para você, mande para navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  4. Vídeos ou material de informação, fotos, quaisquer conteúdos relacionados às nossas matérias, você também pode mandar por e-mail pro nosso editor padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  5. "Até mesmo em meio à poluição da cidade a gente pode observar e gravar várias espécies de aves, algumas delas migratórias": comentário de John Dalgas Frish que quando não está viajando no seu trabalho de ornitólogo mora no bairro Cidade Jardim, em São Paulo.

    ResponderExcluir
  6. "A estiagem por aqui no Mato Grosso do Sul, onde tem Choca Barrada ou Xorró e outros pássaros raros, vinha durando desde o meio do ano, agora finalmente começou a chover um pouco, mas essas aves migratórias já estavam fugindo da seca": comentário de Júlia Castro, Biologa, fazendo um estudo sobre aves migratórias e seus cantos para a Universidade da Bahia. Ela nos enviou material de informação e fotos sobre este Cuco do do sertão, a gente agradece e vamos juntos à luta pela nossa última ecologia.

    ResponderExcluir
  7. "Muito interessante esta situação e devido às circunstâncias da natureza e da realidade do Brasil hoje, me parece alguma coisa sintomática, um símbolo mesmo dos problemas da ecologia na nossa atualidade, com tantos desafios": João Carlos Moredo, engenheiro florestal, que foi ligado ao IPT da USP e hoje mantém empresa de ecoturismo no Litoral Norte de São Paulo: "Informando aí, esse pássaro nunca vi por aqui no litoral paulista".

    ResponderExcluir

Translation

translation