segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PREMIADA NA EUROPA É A ESPERANÇA DE QUE ESTA NOSSA ATUAL GERAÇÃO POSSA MUDAR E AVANÇAR A RECICLAGEM DOS PLÁSTICOS

É o caso do invento Gr3n que acaba de vencer o Prêmio Radar de Inovação com um Upcycling de Pet (na Itália) uma solução para resolver a overdose de plásticos que hoje em dia é um problema econômico, ecológico e de saúde pública



 O Prêmio Radar de Inovação foi dado a este inventor por uma solução sustentável para a overdose de plásticos




Na virada de 2018 para 2019 esta informação mostra que existe solução para um dos maiores dramas ambientais da atualidade:  o nosso planeta é cada vez mais um mundo de plástico e isso gera problemas socioambientais numa palavra monstruosos, esta é em resumo a abertura de reportagem da Euronews, agência de notícias de Portugal, que completa, ser a questão ainda mais grave porque apenas uma porcentagem mínima dos milhões de toneladas deste material são reciclados. A maior parte dos materiais de plástico acaba no mar ou nos rios, quando não é levada para lixeiras ou aterros sanitários ou quando não há a destruição em fornos de incineração. Diante deste quadro de gravidade total para o meio ambiente e para a saúde pública, fica mais fundamental a inovação que foi desenvolvida na cidade de Piacenza, na Itália, onde uma equipe de pesquisadores construíram um reator capaz de reciclar plásticos e outros resíduos até agora impossíveis de tratamento ecológico. A empresa Gr3n (se pronuncia Green) é uma startup fundada por Maurizio Crippa, um inventor italiano que está animado com a possibilidade da sua invenção fechar o ciclo de reciclagem do plástico.



 A overdose de plásticos sem reciclagem gera poluição também das águas e até desastres ambientais


O projeto ganhou o Prêmio Radar de Inovação de 2018, em Viena, agora no âmbito da conferência de tecnologias de informação e comunicação organizada pela Comissão Europeia: o objetivo é identificar e premiar inovações com elevado potencial de comercialização, que sejam soluções sustentáveis para os problemas da atualidade. 



A equipe da startup usou tecnologia digital para pesquisar e desenvolver a solução Gr3n


O desafio da equipe de Maurizio Crippa foi o de dar uma nova vida a muitos objetos e materiais comuns do dia a dia hoje que até agora eram simplesmente jogados no lixo porque não podiam ser processados em centros de reciclagem mecânica. "Certos materiais podem ser sujeitos a reciclagem mecânica, por exemplo, recipientes para alimentos, normalmente plásticos incolores e também algumas garrafas de cor. Já os têxteis não podem ser sujeitos às atuais formas de reciclagem. Reciclada uma garrafa pet pode ser reaproveitada como matéria prima para se  produzir roupas, porém, as roupas não podem ser reaproveitadas para a produção de garrafas. Ou seja, a reciclagem mecânica é downcycling, um processo de recuperação limitado, mas com esta nossa tecnologia agora podemos fazer upcycling, isto é, recuperar materiais com a sua transformnação em produtos novos e melhores, algo vital para o ambiente e para a economia". 


Maurizio Crippa ecologista e inventor


(Confira na seção de comentários do blog da gente mais dados e informações sobre a inovação chamada Gr3n, que em resumo é uma máquina capaz de isolar a resina poliéster, o politereftalato de etileno (Pet), o material mais usado na indústria de embalagens e de roupas a partir do plástico: surge assim uma esperança de solução sustentável, boa para a economia e para a ecologia)



Finalmente uma solução para o problema ambiental da overdose de plásticos que não vêm sendo reciclados


Fontes: Euronews - Reuters
              folhaverdenews.com.br 

9 comentários:

  1. A gente pesquisou mais algumas informações sobre o Gr3n e toda essa questão, aguarde a nossa edição de comentários logo mais, venha conferir mais dados, OK?

    ResponderExcluir
  2. Você pode colocar aqui a sua mensagem, informações ou opinião e experiência neste setor também, se preferir mande um e-mail para a redação do blog da gente que aí postamos aqui nesta seção para você: e-mail navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  3. Vídeos, fotos, material de informação, sugestões ou críticas, denúncias, você pode enviar também diretamente pro e-mail do nosso editor de conteúdo padinhafranca603@gmail.com.br

    ResponderExcluir
  4. "Uma boa notícia para começar um novo ano com alguma esperança que um dia vamos conseguir avançar a nossa forma de viver aqui e em todo planeta que hoje é antiecológica e está destruindo a própria vida": foi o primeiro comentário que recebemos em nossa redação aqui no blog, nos foi enviado por José Manuel Rocha Santos, de São Paulo, estudante da USP.

    ResponderExcluir
  5. "Para mostrar o alcance desta inovação, podemos dizer que a Gr3n desenvolveu uma máquina capaz de isolar a resina poliéster, o politereftalato de etileno (PET), o material mais amplamente utilizado na indústria de vestuário e embalagens. Este processo, chamado de despolimerização, é impulsionado pelo reator de micro-ondas deste protótipo, sendo que se trata de um processo que tem capacidade para fundir as características do sistema mecânico com a força do processo químico acelerado por micro-ondas numa única máquina. O polímero termoplástico virgem extraído será usado para produzir de novo plástico ou roupas. A recuperação circular fica assim completa a solução do maior valor na atualidade, já que vivemos e sofremos os efeitos de um mundo de plástico": comentário do engenheiro Franco Cavadini, que foi entrevistado pela Euronews.

    ResponderExcluir
  6. "O plástico é oriundo do petróleo e assim, o ser humano precisa encontrar um substitutivo menos agressivo ao ambiente e à saúde, mas qualquer avanço no setor, por exemplo neste caso do Gr3n, que consegue reciclar quaisquer tipos de materiais de plásticos, isso já avança bastante": comentário de Maria Helena Bastos, professora de Geografia e educadora ambiental em Curitiba, no Paraná.

    ResponderExcluir
  7. "O projeto de Maurizio Crippa recebeu aclamação por parte do júri, que concedeu à Gr3n a premiação principal de inovação do Prêmio Radar do ano, de entre as 20 empresas finalistas candidatas a prêmios em cinco categorias. O prêmio ajudará a empresa a atraír investidores, a fim de acelerar a comercialização da invenção de grande valor socioambiental": comentário em notícia da agência Reuters.

    ResponderExcluir
  8. "O desafio na Europa é grande, desde as ciências puras às ciências aplicadas, destas aos centros de pesquisa e desenvolvimento de grandes corporações, e por sua vez destas a outras empresas e às vendas é um caminho demasiado longo. Precisamos fazer algo, de criar atalhos ao longo do processo, para inovar e ganhar competitividade, avançando também a qualidade de vida na Europa": comentário de Pia Erkinheimo, membro do júri do Innovation Radar Prize.

    ResponderExcluir
  9. "Importante trazer para o Brasil esta máquina, importar esta tecnologia que por aqui o problema dos plásticos que não são reciclados já virou um drama monstro": comentário de Humberto Yunes, engenheiro ambiental, que atua em Porto Alegre (RS).

    ResponderExcluir

Translation

translation