quarta-feira, 26 de dezembro de 2018

PESQUISA COMPROVA OS MALEFÍCIOS DA POLUIÇÃO DO AR EM CRIANÇAS AO MESMO TEMPO EM QUE OMS ALERTA QUE MAIS DE 40% DAS DOENÇAS HOJE SÃO LIGADAS A PROBLEMAS DE MEIO AMBIENTE

A gente mostra hoje novo artigo científico publicado na revista Environmental Research que está também no site EcoDebate e aqui no blog da ecologia resumimos alguns dos seus principais conteúdos. E a OMS (Organização Mundial de Saúde) também está fazendo mais um alerta ao divulgar esta conclusão desta equipe de ciência de saúde ambiental


Passa da hora de mudar radicalmente esta situação




O novo estudo organiza uma montanha de evidências sobre os efeitos da poluição do ar na saúde principalmente das crianças e pessoas mais sensíveis ou vulneráveis. Publicada agora na revista Environmental Research esta é a primeira revisão abrangente das associações entre vários poluentes da combustão de combustíveis fósseis e os efeitos sobre a saúde em crianças, no contexto da avaliação dos malefícios da poluição do ar e das mudanças climáticas. Pesquisadores que atuam na Columbia Center for Children’s Environmental Health (CCCEH) explicaram que o objetivo deste trabalho é expandir os tipos de resultados análise de saúde usados nos cálculos também ligados aos benefícios também econômicos da implementação de políticas públicas para obter o ar limpo e para combater  mudanças climáticas que são ligadas aos efeitos da poluição do ar que causam mortes prematuras de menores de 5 anos e também outros problemas em adultos.


633 crianças morrem por ano no país por doenças causadas pela poluição do ar




Dados da OMS outubro de 2018 revelam que 633 crianças morrem por ano no Brasil (443 em todo o planeta) devido à exposição ao ar poluído. Este novo artigo agrega pesquisas sobre os resultados também de outras pesquisas, incluindo desfechos adversos de nascimento, problemas cognitivos e comportamentais e incidência de asma.



40% de todas as doenças hoje causadas por problemas socioambientais alerta a OMS


“As medidas governamentais para reduzir as emissões de combustíveis fósseis têm um duplo objetivo, o de reduzir a poluição do ar e de mitigar as mudanças climáticas, com benefícios ecológicos, econômicos e de saúde combinados e de alcance considerável”, comenta a pesquisadora Frederica Perera, que é PhD no assunto, diretora do CCCEH além de professora universitária de Ciências da Saúde Ambiental, ela ainda argumenta: "A situação é mais grave ainda do que já constatamos porque apenas alguns resultados adversos em crianças foram considerados, os formuladores de políticas e a população ainda não perceberam toda a extensão que tem os benefícios potenciais das políticas de ar limpo e a luta contra as mudanças climáticas e os problemas ambientais e mais ainda no caso das crianças". (Tradução de Henrique Cortez, editor do site socioambiental EcoDebate)


Um cenário de horror

Mudar combustíveis ajudará demais a solução



(Confira mais informações na seção de comentários deste nosso blog de ecologia e de cidadania, OK?)



Poluição do ar chega a uma situação limite aqui e em vários países advertem médicos da OMS



Fontes: Columbia Center for Children’s Environmental                            Health (CCCEH) - ecodebate.com.br - OMS
                 folhaverdenews.com.br


8 comentários:

  1. A OMS da ONU já havia divulgado em outubro de 2018 que pelo menos 633 crianças menores de 5 anos morrem por ano no Brasil, vítimas de complicações ligadas à poluição do ar.

    ResponderExcluir
  2. Em todo o planeta os números são assustadores, por ano morrem 543 mil crianças por doenças causadas por poluição do ar, segundo dados da Orgaqização Mundial de Saúde.

    ResponderExcluir
  3. "As doenças ligadas à poluição doar atingem cerca 1,8 bilhões de pessoas em todo o mundo, isso dimensiona o alcance deste problema e da necessidade de medidas públicas para mudar os combustíveis e implantar energias limpas": comentário que extraímos de documento neste tema da Associação Paulista de Medicina.

    ResponderExcluir
  4. Logo mais, aqui, mais informações dos estudos da Columbia Center for Childrens Environmental Health (CCCEH) que estamos enfocando hoje no blog da gente: você podecolocar aqui a sua informação ou opinião, se preferir ou precisar enviae a sua mensagem por e-mail da nossa redação que aí postamos aqui para você, mande para navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  5. Vídeos, material de informação, denúncias, criticas, notícias você pode também enviar diretamente pro e-mail do nosso editor deste blog padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  6. "Eu pude conferir uma palestra na USP sobre esta pesquisa feito pelos pesquisadores do Environmental Research e os dados são realmente para se levar a uma mudança radical para o uso de energias limpas e outros combustíveis o mais rápido possível": comentário de Eudes Ribeiro, professor de Biologia na rede pública em São Paulo.

    ResponderExcluir
  7. Mais informações:
    Towards a Fuller Assessment of Benefits to Children’s Health of Reducing Air Pollution and Mitigating Climate Change Due to Fossil Fuel Combustion
    F.Perera, A.Ashrafi, P.Kinney, D.Mills
    Environmental Research
    DOI https://doi.org/10.1016/j.envres.2018.12.016
    Columbia Center for Children’s Environmental Health (CCCEH)

    ResponderExcluir
  8. "Os pesquisadores consultaram 205 estudos revisados por pares publicados entre 1º de janeiro de 2000 e 30 de abril de 2018, que forneceram informações sobre a relação entre a concentração de exposições a poluentes do ar e os desfechos de saúde. Os estudos referem-se a subprodutos da combustão de combustíveis, incluindo poluentes atmosféricos tóxicos, como material particulado (PM2.5), hidrocarbonetos aromáticos policíclicos (PAH) e dióxido de nitrogênio (NO2). Uma tabela fornece informações sobre o risco de resultados de saúde para exposição por estudo, abrangendo pesquisas realizadas em seis continentes": comentário extraído de matéria no site de temas socioambientais EcoDebate, tradução de Henrique Cortez.

    ResponderExcluir

Translation

translation