segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

PROTESTO NA BÉLGICA PELA ECOLOGIA DO PLANETA MEXE COM GOVERNANTES E AGITA OS BASTIDORES DA COP24 NA POLÔNIA

Clima quente e pouco tempo para tantos desafios na COP24 rolando em Katowice: mesmo fora da Polônia na Bélgica milhares de ecologistas vão à rua em protesto pacífico em Bruxelas contra o aquecimento global e a falta de gestão ambiental dos países (até o Brasil é criticado também por ter recusado sediar outra conferência da ONU sobre clima que estava agendada desde 2017 para ser aqui no final de 2019)



Manifestação mobiliza milhares de pessoas sobre o clima

Secas no Brasil e na África estão em debate também

Em pauta o perigo do caos do clima e do ambiente


Dezenas de milhares de pessoas marcharam pacificamente ainda no domingo em Bruxelas na Bélgica pedindo aos governos dos 100 países, que já estão na COP24 das Nações Unidas sobre clima e meio ambiente, que respeitem os compromissos para combater a mudança climática e tentar evitar um caos no planeta, mantendo o aquecimento global sob controle. A polícia belga disse que cerca de 65 mil pessoas participaram do protesto domingo, muitas delas em bicicletas e muitas a pé. O movimento ecológico discorda destes números e afirma que foi a passeata dos 100 mil pela ecologia.  Lá é 1º Mundo tanto que o primeiro ministro da Bélgica, Charles Michel, classificou a manifestação como "um sucesso formidável" e prometeu o governo também ainda que seja liberal defenderá "metas mais ambiciosas" na cúpula de duas semanas da ONU sobre mudanças climáticas, que já está acontecendo na cidade polonesa de Katowice. Em Bruxelas, tentando influir positivamente nos trabalhos da COP24, manifestantes marcharam pelo bairro da capital belga que abriga a sede da União Europeia, com cartazes contendo slogans tipo Não há planeta B e Primeiro clima, segundo política.


Ecologistas e entidades ambientais colocam a questão na rua

A Polônia e a Europa mobilizadas na questão climática

Estados Unidos e Brasil criticados na abertura da COP24


O mundo está pegando fogo e a COP24 na Polônia precisa programar ações concretas em todos os países para reequilibrar o meio ambiente e o clima antes que a vida de todo mundo vire um caos



Enchentes no Brasil na pauta de Katowice

Katowice na Polênia sedia a 24ª conferência mundial da ONU









A gente recebeu aqui na redação do blog da ecologia e da cidadania Folha Verde News informações da jornalista Bruna Cenço, que edita o site do fundo mundial da natureza (WWF) a notícia que representantes de cerca de cem países se reunirão a partir desta segunda-feira, 3 de dezembro, na cidade de Katowice, na Polônia, para a 24ª Conferência de Partes da ONU para o Clima (COP24) das Nações Unidas. Este encontro vai rolar até dia 14 de dezembro. 
O encontro foi precedido pela má notícia de que o Brasil desistiu de ser sede da COP do ano que vem, a última antes do super ano de 2020, quando as metas do Acordo de Paris começarão a valer, isso ao mesmo tempo em que a Organização Meteorológica Mundial já informava ser o ano de 2018 o 4º mais quente de toda a história da Terra. 


 Última floresta nativa da Europa foi tema na COP24...

...apresentado por ecologistas e entidades ambientais


“Desde que o Acordo de Paris foi assinado, em dezembro de 2015, o mundo vem batendo uma série de recordes de temperatura e, não coincidentemente, tem sofrido cada vez mais com os efeitos de desastres naturais extremos. Ao mesmo tempo, estudos e iniciativas demonstram que um futuro de segurança climática é possível, desde que ajamos imediatamente. A COP de Katowice é um momento crítico para pesar todos esses fatores e avançar de fato na luta contra as mudanças climáticas, buscando ações e resultados concretos", foi o que comentou Mauricio Voivodic, diretor-executivo do WWF-Brasil. 



Entre o Chile e a Argentina Mapuches também se manifestam


(Confira mais informações na seção de comentários do blog da gente, também atualização sobre o que rola na COP24 da ONU, além de opiniões e de mensagens, confira e participa da luta pela ecologia)


Em todos os lados do mundo pipocam manifestações ecológicas


Fontes: AFP - jb.com.br - wwf.org.br
              folhaverdenews.com.br


7 comentários:

  1. "Para contribuir com o entendimento do cenário e do que esperar para a Conferência de Katowice, o WWF preparou seu tradicional documento Expectativas para a COP, em que faz uma análise dos movimentos e iniciativas recentes e descreve o que o encontro deve avançar para que seja bem-sucedido": comentário da repórter Bruna Cenço, que edita o site do fundo mundial da natureza, que nos enviou material sobre o evento.

    ResponderExcluir
  2. "As expectativas são que o Pacote de Katowice (como estão sendo chamados os resultados que serão entregues agora na conferência) inclua comprometimentos e diretrizes claros para a melhoria e o sucesso na implementação das metas nacionais (NDCs), compromissos para aumentar as ações urgentes e os financiamentos correspondentes, além da finalização e da adoção do Livro de Regras do Acordo de Paris": comentário extraído também do site WWF.

    ResponderExcluir
  3. “O Acordo de Paris foi um ganho inestimável, mas ainda estamos muito distantes do que ele propõe. Atingir a meta de 1,5 ° C exigirá uma transformação total de nossas sociedades e da economia global. É um caminho sem volta e o Brasil tem um papel fundamental nesse processo. Quanto mais rápido agirmos, mais teremos a ganhar. Para isso, todos nós, governos, ONGs, empresas, sociedade em geral, devemos participar desse esforço, que é global, mas que tem consequências locais”: comentário de André Nahur, coordenador do programa Mudanças Climáticas e Energia de entidade ambientalista que está na Polônia.

    ResponderExcluir
  4. "A Conferência de Partes da ONU é também o cenário para o lançamento de duas publicações do WWF-Brasil: os story maps (contéúdos multimídia) "A Saga do Grão", material que aprofunda a questão da produção de soja no Brasil, e "Resex Solar – Produtoras de Energia Limpa", relato que mostra a realidade de algumas comunidades de reservas extrativistas (Resex) do sul do Amazonas sem eletricidade e beneficiadas com um projeto piloto de energia solar para atividades de produção e educação. Os dois eventos acontecem nos dias 12 e 14 de dezembro, respectivamente, no Pavilhão Panda da COP": comentário extraído de noticiário da AFP.








    ResponderExcluir
  5. "Os efeitos nunca foram tão graves e devem levar a comunidade internacional a fazer muito mais do que vem sendo feito para controlar a situação": comentário de Patricia Espinosa, responsável da ONU para as questões climáticas.

    ResponderExcluir
  6. "Este ano deverá ser um dos quatro mais quentes já registrados nos últimos tempos, as concentrações de gases do efeito estufa na atmosfera atingiram um nível recorde e as emissões continuam aumentando, estamos começando agora a COP-24 com este alerta e esta urgência de ações concretas. O clima esquentou, o mundo está pegando fogo": comentário que extraímos de noticiário da AFP sobre manifestação do Greenpeace agora em Katowice na COP da Polônia.

    ResponderExcluir
  7. "Uma vergonha mundial, o Brasil que tem tantos recursos naturais e hídricos, não abraçar a conferência mundial do clima da ONU, que seria a COP25 aqui, este fato poderá fazer com que países europeus mais envolvidos com a questão climática e ambiental (França, Alemanha, Bélgica etc) passem a boicotar produtos brasileiros e aí a coisa vai complicar pros governantes brasileiros que só pensam em dinheiro": comentário que resume emissão da BBC News do ecologista Charles Brown durante manifestação dos 100 mil em Bruxelas domingo, de apoio à COP24 na Polônia.

    ResponderExcluir

Translation

translation