quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

WORLD ECONOMIC FORUM: O RELATÓRIO DE RISCOS MOSTRA OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA TERRA E ENTRE ELES O MEIO AMBIENTE É O SEGUNDO QUE FOI O MAIS CITADO PELOS ESPECIALISTAS

Aqui no blog na ecologia e da cidadania as conclusões do Global Risks Report 2019 feitas no Fórum Econômico Mundial conclamando por uma união coletiva para que possam ser enfrentados os crescentes riscos globais: a ascensão do nacionalismo em alguns países (Estados Unidos e até o Brasil entre outros) está na principal lista dos atuais desafios do planeta, sob o enfoque da criação de um futuro sustentável, hoje em dia mais ameaçado ainda do que já estava antes 




Aqui, o melhor deste evento que não é só político


A seguir, aqui no Folha Verde News já hoje um resumo dos dados e conclusões de ontem no evento mundial  em Davos, na Suíça, estas informações a gente captou no documento oficial tema do vídeo já postado em nosso blog e que está na íntegra no site socioambiental EcoDebate, bem como, em matéria na BBC News.  




Os mais ricos sabem o que é urgente fazer agora e aqui está a informação que os mais pobres precisamos cobrar já dos governos e das empresas


Alguns dos riscos mundiais: um aumento maior das tensões geopolíticas e geoeconômicas estão na pauta dos assuntos mais urgentes para 2019, 90% dos especialistas afirmam que esperam neste ano um grande confronto econômico entre as principais potências. A degradação ambiental, vista como o risco que melhor define a nossa era, está entre os cinco  principais problemas planetários mais impactantes. Um outro alerta foi feito em relação à ameaças cibernéticas e tecnológicas como um outro ponto significativo e ao qual ainda não se dá atualmente o devido valor, talvez poe falta de informação. 


O relatório de riscos é o que vale mais no Fórum Global


·    
"A capacidade do mundo em promover ações conjuntas face às grandes crises urgentes hoje atingiu níveis críticos, com o agravamento das relações internacionais que impedem uma ação face aos graves e crescentes desafios", é um outro ponto negro no relatório Global Risks Report 2019. É citada também uma perspetiva econômica sombria, em parte causada por tensões geopolíticas, reduzindo ainda mais o potencial para a cooperação internacional atualmente. Este relatório que resumimos essencialmente aqui no blog reúne os resultados anuais de agora do Survey Global Percepção de Riscos de aproximadamente 1.000 especialistas e de várias lideranças e fontes, aponta para uma deterioração das condições econômicas e geopolíticas. Também as disputas comerciais pioraram rapidamente entre 2018 e 2019, o alerta é que o crescimento nos próximos meses sofrerá devido às continuadas tensões geoeconômicas, 88% dos entrevistados durante o evento em Davos na Suíça estão prevendo e até temendo que vai deteriorar das regras e acordos comerciais multilaterais.


A crise ambiental define esta atual era


A questão ambiental e climática no Global Risks Report 2019 é destacada - Todos os cinco riscos ambientais que o relatório identifica estão novamente na categoria de alto impacto e de alta probabilidade: perda de biodiversidade; eventos climáticos extremos; fracasso na mitigação e na adaptação às alterações climáticas; desastres ambientais provocados pelo homem e/ou por  catástrofes naturais. Isso chega a ponto de Alison Martin, Group Chief Risk Officer do Grupo Zurich Insurance, afirmar que “2018 foi, infelizmente, um ano de incêndios de dimensões históricas, constantes grandes inundações e aumento das emissões de gases de efeito estufa. Não surpreende que, em 2019, os riscos ambientais dominem mais uma vez a lista das principais preocupações. O mesmo acontece com a probabilidade crescente de falhas na política ambiental ou a falta de uma oportuna implementação de gestão neste setor. Para responder eficazmente às alterações climáticas, é necessário um aumento significativo da infraestrutura para se adaptar a esta nova situação e transitar para uma economia de baixo carbono". 


 Alison Martin: o lado ambiental dos desafios... 

...que o planeta água enfrenta agora 


Alison Martin argumenta ainda que até 2040, o gap de investimento numa infraestrutura global deverá atingir os 18 triliões de dólares contra uma necessidade estimada de 97 triliões de dólares. Face a este cenário, a recomendação é que as empresas e os governos desenvolvam uma estratégia de adaptação à resiliência climática e atuem com uma gestão ambiental imediatamente. 


A questão cibernética foi um outro destaque


(Confira na seção de comentários aqui no blog da gente mais alguns detalhes destas informações, bem como, opiniões e mensagens)


Relatório relata riscos de toda região da Terra


Fontes: ecodebate.com.br - BBC News
                   folhaverdenews.com.br


8 comentários:

  1. Não podemos diminuir a importância, não só econômica, mas ecológica e cultural do Fórum Econômico que acabou ontem em Davos na Suíça. Não foi só algo político e um resumo da lista de problemas que foram levantados lá, está aqui a seguir.

    ResponderExcluir
  2. Top 5 Riscos por Probabilidade
    1. Eventos Climáticos Extremos (por exemplo, inundações, tempestades, etc.)
    2. Fracasso na mitigação e adaptação às alterações climáticas
    3. Grandes Catástrofes Naturais (por exemplo, terramotos, tsunamis, erupções vulcânicas, tempestades geomagnéticas)
    4. Incidentes massivos de fraude/roubo de dados
    5. Ataques cibernéticos em grande escala

    ResponderExcluir
  3. Traduzimos para você estas outras informações a seguir, OK? Top 5 Riscos por Impacto
    1. Armas de destruição em massa
    2. Fracasso na mitigação e adaptação às alterações climáticas
    3. Eventos Climáticos Extremos (por exemplo, inundações, tempestades, etc.)
    4. Crises de água
    5. Grandes Catástrofes Naturais (por exemplo, terramotos, tsunamis, erupções vulcânicas, tempestades geomagnéticas)
    Segue mais uma súmula de problemas, confira.

    ResponderExcluir
  4. Top 5 de Interconexões de Riscos
    1. Eventos Climáticos Extremos + Fracasso na mitigação e adaptação às alterações climáticas
    2. Ataques cibernéticos em grande escala + colapso de infraestruturas cruciais de informação e de redes
    3. Nível elevado de desemprego estrutural ou subemprego + consequências adversas dos avanços tecnológicos

    4. Nível elevado de desemprego estrutural ou subemprego + instabilidade social profunda
    5. Incidentes massivos de fraude/roubo de dados + ataques cibernéticos em grande escala
    6. Fracasso na governança regional ou global +conflitos interestatais com consequências regionais

    ResponderExcluir
  5. Depois mais tarde, vamos postar aqui comentários e mensagens ou opiniões, agora mais alguns dados.
    Top 5 Tendências
    1. Alterações climáticas
    2. Crescente dependência cibernética
    3. Aumento da polarização das sociedades
    4. Crescente disparidade de rendimentos e na distribuição da riqueza
    5. Ascensão do nacionalismo

    ResponderExcluir
  6. Você pode por aqui direto o seu comentário, se preferir ou precisar envie mensagem pro e-mail da redação deste nosso blog navepad@netsite.com.br
    Outra opção é mandar a informação ou opinião diretamente pro e-mail do nosso editor padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  7. “Com o comércio global e o crescimento econômico em risco em 2019, a necessidade é de renovar a arquitetura da cooperação internacional, algo que hoje é mais urgente do que nunca porque simplesmente estamos sem força motriz para contrariar o tipo de desaceleração à qual a atual dinâmica nos poderá conduzir. O que precisamos agora é de uma ação coordenada e concertada, consensual, para sustentar o crescimento e combater as graves ameaças que o nosso mundo já enfrenta agora": comentário de Børge Brende, Presidente do Fórum Econômico Mundial em Davos, Suíça, janeiro de 2019.

    ResponderExcluir
  8. “2018 foi, infelizmente, um ano de incêndios de dimensões históricas, constantes grandes inundações e aumento das emissões de gases de efeito estufa. Não surpreende que, em 2019, os riscos ambientais dominem mais uma vez a lista das principais preocupações. O mesmo acontece com a probabilidade crescente de falhas na política ambiental ou a falta de uma gestão oportuna no setor.Para responder eficazmente às alterações climáticas, é necessário um aumento significativo da infraestrutura para se adaptar a esta nova situação e transitar para uma economia de baixo carbono. Até 2040, o gap de investimento numa infraestrutura global deverá atingir os 18 triliões de dólares contra uma necessidade estimada de 97 triliões de dólares. Face a este cenário, recomendamos fortemente que as empresas e os governos desenvolvam uma estratégia de adaptação à resiliência climática e atuem sobre ela de imediato”: comentário de Alison Martin, Group Chief Risk Officer da Zurich Insurance, noticiada pela BBC News.

    ResponderExcluir

Translation

translation